As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Senado do México estuda cobrança de impostos sobre ‘junk food’

Redação Internacional

24 de outubro de 2013 | 13h57

mexico_reuters.jpg

(Atualizada às 17h35) MÉXICO – O Senado mexicano estuda aplicar um imposto de 5% sobre os alimentos muito calóricos, a “junk food”. Essa cobrança foi aprovada na semana passada pela Câmara dos Deputados.

Segundo a Reuters, o Partido da Revolução Democrática (PRD) propõe um aumento para 8% desses impostos, mas outras agências não citam esse valor.

O Partido Revolucionário Institucional (PRI), do presidente Peña Nieto, deve apoiar a cobrança do imposto.

Segundo a proposta, teriam os impostos modificados alimentos de alta densidade calórica (275 quilocalorias por 100 gramas), como cereais, sorvetes, chocolates e outros doces. Uma fonte ligada ao PRI, falando em condição de anonimato, disse que o partido pode ampliar a lista.

O projeto é vital para o presidente mexicano, que busca aumentar a arrecadação, mas também implementar projetos sociais, como o acesso de toda a população à previdência social e a criação do seguro desemprego.

Outra proposta, de acordo com a agência AFP, aumenta a cobrança sobre os refrigerantes, com a intenção de diminuir a obesidade no país. O aumento seria de um peso por cada litro de refrigerante./ REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:

Enrique Peña NietoMéxico

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.