Traficante aliado de Pablo Escobar morre na miséria
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Traficante aliado de Pablo Escobar morre na miséria

Luiz Raatz

09 de março de 2010 | 19h46

 traficante

(Reprodução/eltiempo.com)

Morreu pobre e sem ter o que comer o traficante colombiano Evaristo Porras, um dos principais aliados de Pablo Escobar, o líder do Cartel de Medellín morto pela polícia em 1993. Segundo familiares ouvidos pelo jornal El Tiempo, Porras foi vítima de um enfarte em sua casa, em Bogotá, no último dia 3.

O ex-sócio de ‘Don Pablo’ passou 20 de seus 62 anos na cadeia e estava há quatro em liberdade condicional. Ele havia sido condenado pela Justiça colombiana por narcotráfico e enriquecimento ilícito. Seus bens, bloqueados pelo Judiciário, eram estimados em US$ 2,5 milhões e incluíam um prédio em Letícia, um apartamento em Bogotá, três sociedades comerciais e três barcos.

Durante os anos de atividade criminal, Porras tornou-se chefe do cartel do Amazonas, que traficava cocaína na Colômbia, no Equador, no Peru e no Brasil. Ele ganhou notoriedade ao participar da trama que tentou incriminar o então ministro da Justiça Rodrigo Lara Bonilla, que acabaria assassinado em 1984 pelo cartel de Medellín.

Entre suas extravagâncias, estava uma mansão construída em Letícia, na fronteira com o Brasil, que era uma réplica da exibida no seriado de TV americano Dinasty. Um fato curioso é que ele foi defendido no Peru de uma acusação criminal por Vlademiro Montesinos, anos antes deste se tornar o temido chefe do serviço de inteligência do presidente Alberto Fujimori (1990-2000). (El Tiempo)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.