As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tripulação feminina de Brunei aterrissa na Arábia Saudita

Redação Internacional

16 de março de 2016 | 05h00

WASHINGTON – A fotografia parece inocente, mas para muitos, mostra uma rebelião. Divulgada pelo instagram oficial da companhia aérea Royal Brunei, ela mostra a primeira tripulação 100% feminina da empresa. E não foi apenas o gênero das pilotos que chamou a atenção, o destino da viagem também: a Arábia Saudita.

A foto foi tirada minutos antes de a capitã Sharifah Czarena e suas duas auxiliares decolarem para Jeddah, a segunda maior cidade da Arábia Saudita – país em que as mulheres são proibidas de dirigir. Apesar de a viagem ter ocorrido há três semanas, ganhou popularidade nas redes sociais após ter sido compartilhada no Reddit. Apesar de a regra não ser cumprida à risca, especialmente em algumas províncias do sul do país, tornou-se um símbolo da restrição aos direitos das mulheres no reino.

Ao contrário do que indica o senso comum, no entanto, a Arábia Saudita não é tão dura quanto se pode pensar no que diz respeito a mulheres que pilotam aviões. Em 2014, Hanadi al-Hindi tornou-se a primeira mulher a obter uma licença para pilotar aviões no reino. Isso ocorreu um ano depois de o príncipe saudita Talal mencionar a habilidade de pilotagem dela como evidência de que as mulheres sauditas poderiam dirigir.

A piloto de Brunei disse a um jornal local que estava contente por ter conseguido sucesso em uma profissão geralmente dominada por homens.”Como mulher de Brunei é um grande feito”, disse. “Isso realmente mostra às gerações mais jovens, e às meninas especialmente, que elas podem fazer o que sonharem.” / WASHINGTON POST

Mais conteúdo sobre:

Arábia Saudita