Trump ou Cruz? A difícil escolha da elite republicana para disputar a Casa Branca
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Trump ou Cruz? A difícil escolha da elite republicana para disputar a Casa Branca

Apesar de tentarem frear Trump, republicanos ainda não estão certos quanto a apoiar o ultraconservador Cruz

Redação Internacional

07 de março de 2016 | 10h36

WASHINGTON – Republicanos que tentam impedir o magnata Donald Trump de se tornar o candidato à presidência dos EUA pelo partido ainda debatem se apoiam Ted Cruz, figura polêmica que é popular junto ao movimento conservador Tea Party.

Cruz, 45 anos e senador pelo Texas, venceu as prévias partidárias dos Estados do Kansas e do Maine no sábado, fortalecendo seu argumento de que é a principal alternativa a Trump, empresário de 69 anos.

A liderança do Partido Republicano está descontente com as promessas de Trump de construir um muro na fronteira com o México, deportar 11 milhões de imigrantes ilegais e impedir temporariamente a entrada de muçulmanos no país.

Mas muitos líderes da legenda também relutam em apoiar Cruz e o veem como conservador demais para disputar a eleição de 8 de novembro, que determinará o sucessor do presidente dos EUA, o democrata Barack Obama.

Cruz vem fazendo campanha como um “azarão” determinado a balançar o establishment republicano em Washington. Favorito dos evangélicos, ele conclamou os EUA a “varrerem do mapa” o grupo militante Estado Islâmico. Mas em 2013 ele revoltou muitos correligionários ao liderar uma paralisação no Congresso que levou a uma parada de 16 dias do governo federal.

O pesquisador eleitoral republicano Neil Newhouse disse que Cruz ainda não mostrou que tem apelo além dos eleitores mais conservadores. Alguns republicanos argumentaram que o senador não está se saindo bem o suficiente em pesquisas de opinião em Estados como Flórida e Ohio.

Ambos farão prévias em breve, o que leva alguns membros do partido a questionarem se apoiar Cruz é a melhor maneira de frear Trump.

Para obter a indicação partidária, é preciso conquistar 1.237 mil delegados. Cruz obteve 300, e Trump 374. O senador Marco Rubio, de 44 anos, da Flórida, favorito da elite republicana e ainda visto por alguns colegas como uma opção a Trump, aumentará sua cota de 123 delegados com os 23 que conquistou na prévia de Porto Rico no domingo. O governador de Ohio, John Kasich, aparece bem atrás com 35 delegados.

Alguns nomes do establishment republicano dizem que a melhor forma de deter Trump seria Rubio conquistar os 99 delegados da Flórida e Kasich os 66 na primária de Ohio. Os dois Estados concedem a totalidade de seus delegados ao vencedor local, o que não acontece em todas as unidades federativas do país. /REUTERS

Leia mais:

Cruz reduz vantagem de Trump e ganha atenção da cúpula republicana

Prévias republicanas são termômetro de campanha contra Donald Trump

Cruz e Rubio se unem para atacar Trump em debate marcado por confrontos agressivos

Tendências: