Venezuela: Por falta de dinheiro, bancos restringem saques
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Venezuela: Por falta de dinheiro, bancos restringem saques

Medicamentos também estão em falta

Redação Internacional

06 de agosto de 2015 | 18h35

Agências bancárias no Estado venezuelano de Zulia estão restringindo a 40 mil bolívares os saques permitidos aos correntistas. Em alguns estabelecimentos, o volume é ainda menor: 20 mil bolívares. A medida, segundo o jornal local Diario Panorama é motivada pela escassez de notas com valores mais altos – particularmente, notas de 100 bolívares, as mais altas em circulação no país.

Maduro enfrenta crise econômica profunda e vê popularidade cada vez menor

Maduro enfrenta crise econômica profunda e vê popularidade cada vez menor (FOTO: REUTERS)

A Venezuela passa por uma grave crise econômica que se agravou com a queda nos preços internacionais do petróleo – principal produto de exportação do país e responsável por cerca de 96% das receitas em dólar do governo presidido por Nicolás Maduro. Escassez de alimentos e itens básicos como papel higiênico ou absorventes pioram o quadro nas principais cidades do país.

Medicamentos também estão em falta. Há mercado paralelo para remédios desde os mais caros e específicos até os mais comuns, como anti-hipertensivos. Cidadãos têm buscado alternativas como as compras online em farmácias americanas que despacham mercadorias para o país.

Ontem, cidadãos de Sinamaica, no Estado de Carabobo, invadiram, saquearam e queimaram a sede da prefeitura em protesto contra a escassez. Os invasores queimaram quadros do ex-presidente Hugo Chávez e de seu sucessor, Nicolás Maduro.

Tudo o que sabemos sobre:

criseVenezuela