As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

WEBSFERA – 14 DE OUTUBRO

Redação Internacional

13 de outubro de 2010 | 23h31

AL JAZEERA
Segunda ‘Inspire’ traz mais dicas de atentados
A segunda edição da Inspire, revista destinada a jihadistas que falam inglês, traz esta semana dicas para bombardear Washington e orientações de como usar uma picape para “moer os inimigos de Deus”. A publicação traz também um artigo de Anwar al-Awlaki, procurado vivo ou morto pelos EUA. Os editores da revista celebram ainda o fato de informes dos EUA classificarem a Al-Qaeda na península arábica um braços mais perigosos da instituição. Especialistas ocidentais estão preocupados que a linguagem ocidentalizada da Inspire – que traz artigos como “Faça uma bomba na cozinha de sua mãe”. Ela poderia atrair a atenção de jovens que em outras circunstâncias não teriam interesse em temas radicais islâmicos.
http://english.aljazeera.net/news/middleeast/2010/10/2010101254836321101.htmlAl

THE NEW YORK POST
Um Michelangelo atrás do sofá

A família Kober, de Nova York, desconfiava que a pintura posta atrás do sofá por 30 anos era especial. Mas não um Michelangelo. Os Kobers dizem que a obra, cuja autenticidade levará anos para ser atestada, chegou à América com seus antepassados alemães. Para o restaurador Antonio Forcellino, vale US$ 20 milhões.
http://www.nypost.com/p/news/local/mike_found_in_buffalo_Or3Ok3NfUR21qEqBxK3u2H

ABC
Rabino aprova sedução a serviço da espionagem
Uma boa notícia para as agentes do Mossad que perdiam o sono por informações exclusivas. Em um artigo chamado “Sexo ilícito pelo bem da segurança nacional”, o rabino Ari Schvat abençoa as espiãs. Se elas forem casadas, há ressalvas. O rabino aconselha seus maridos a se separar, pelo menos durante o ato de espionagem.
http://abcnews.go.com/Blotter/israeli-rabbi-blesses-honeytrap-sex-female-spies/story?id=11834845&page=1

 EL PAÍS
Avaliação docente custa emprego de prefeito
Quando Michelle Rhee aceitou administrar a educação pública em Washington, em 2006, não queria mesmo ser popular. Estabeleceu avaliação de professores nas 168 escolas, os classificou e demitiu 241. Deu um ano para outros 737 melhorarem e fechou 21 escolas. Esta semana, o prefeito Adrian Fenty, que a colocou no cargo, perdeu as primárias democratas. Seu rival recebeu US$ 1 milhão de sindicatos ligados aos professores.
http://www.elpais.com/articulo/sociedad/examina/profesor/sube/nota/alumno/elpepusoc/20101013elpepisoc_1/Tes

Tudo o que sabemos sobre:

VISÃO GLOBALwebsfera

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.