Zilda Arns, uma vida dedicada à solidariedade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Zilda Arns, uma vida dedicada à solidariedade

Paula Carvalho

15 de janeiro de 2010 | 10h00

zildaarns

Zilda Arns estava em Porto Príncipe, capital do Haiti, cumprindo uma agenda de palestras sobre o trabalho da Pastoral da Criança e do Idoso quando foi registrado o terremoto de 7 graus na escala Richter que abalou o país.

Médica pediatra e sanitarista, Zilda é irmã do cardeal-arcebispo emérito de São Paulo, d. Paulo Evaristo Arns e, assim como o irmão, dedicou grande parte de sua vida ao trabalho social, apostando na educação como ferramenta para combate a doenças infantis e à desnutrição.

O senador Flávio Arns, sobrinho de Zilda, viajou à capital haitiana para cuidar do traslado do corpo. Segundo ele, a tia estava em uma igreja no momento do tremor.

“Zilda estava em uma igreja, onde proferiu uma palestra para cerca de 150 pessoas. Ela já tinha acabado seu discurso e estava conversando com um sacerdote, que queria mais informações sobre o trabalho da Pastoral da Criança”, relatou o senador. “De repente, começou o tremor. O padre que estava conversando com ela deu um passo para o lado e Zilda recuou um passo, sendo atingida diretamente na cabeça pelo teto que desabou. Ela morreu na hora.”

O trabalho de Zilda rendeu diversos prêmios e homenagens no Brasil e no mundo, entre eles a comenda da Ordem do Rio Branco (2001), Prêmio de Direitos Humanos (2000), Personalidade Brasileira de Destaque no Trabalho em Prol da
Saúde da Criança (conferido em 1998 pela Unicef), além de ter recebido o título de doutor honoris causa em cinco universidades.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: