Zuckerberg causa polêmica nas redes sociais ao correr ao ar livre em Pequim
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Zuckerberg causa polêmica nas redes sociais ao correr ao ar livre em Pequim

Fundador e CEO do Facebook publicou imagem correndo no centro da capital da China, sem máscara, durante um pico de poluição na cidade e foi 'alertado' por outros usuários e ONGs

Redação Internacional

18 de março de 2016 | 12h09

PEQUIM – Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, gerou controvérsia nesta sexta-feira, 18, na internet ao ilustrar sua chegada a Pequim com uma fotografia correndo no centro da capital da China, sem máscara, durante um pico de poluição na cidade.

Zuckerberg, que publicou a imagem em sua conta no Facebook, apesar de a rede estar censurada na China (só é acessível através de serviços privados de pagamento VPN), provocou mais de 150 mil reações de internautas em sua conta em apenas algumas horas.

It's great to be back in Beijing! I kicked off my visit with a run through Tiananmen Square, past the Forbidden City and...

Publicado por Mark Zuckerberg em Quinta, 17 de março de 2016

“É estupendo voltar a Pequim, comecei minha visita com uma corrida na praça de Tiannamen, ao lado da Cidade Proibida e no caminho ao Templo do Céu”, afirmou Zuckerberg na publicação, que mostra alguns corredores usando máscara.

“Com isto alcançarei as cem milhas em um ano correndo. Agradeço a todo mundo que me acompanhou na corrida, pessoalmente e ao redor do mundo”, acrescentou o co-criador de Facebook.

“O solo que você pisa esteve coberto do sangue dos estudantes que lutaram pela democracia. Mas aproveita sua corrida, Mark”, disse um usuário do Facebook, em alusão à violenta repressão do regime chinês aos protestos na praça de Praça da Paz Celestial de 1989, em frente à Cidade Proibida.

O delicado passado histórico do lugar escolhido por Zuckerberg para sua corrida mattinal – com o retrato de Mao ao fundo – provocou um forte debate no Facebook, enquanto muitos se perguntavam por que motivo o multimilionário tinha ido correr sem máscara com o céu cor de chumbo ao fundo.

“Mark, não vê a poluição? Deixe de correr ao ar livre! Pequim é meu lar, mas não recomendo que faça isso”, comentou Christina Tan.

“Esqueceu algo? #Markzuckerberg, o ‘smog’ mata milhares de pessoas a cada dia. Ponha uma máscara!”, afirmou o escritório do Greenpeace do Leste da Ásia em sua conta no Twitter.

No Weibo, uma espécie de Twitter chinês, a empresa que desenvolveu essa rede social, Sina, abriu o debate publicando a foto de Zuckerberg com esta mensagem: “hoje Mark Zuckerberg postou uma foto no Facebook em que corria de manhã afirmando que era maravilhoso voltar a Pequim. A poluição era então de 252 microgramas de partículas PM 2,5”, dez vezes acima da recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Embora Zuckerberg não esconda seu desejo de conseguir autorização para a entrada do Facebook na China, seus elogios à segunda economia mundial são considerados exagerados em alguns setores do país.

O fato mais famoso foi quando o empresário, que estuda mandarim e é casado com uma chinesa, colocou na mesa de seu escritório na sede californiana do Facebook um exemplar de “A Governança da China”, um livro promocional do presidente Xi Jinping.

A revista de lazer “The Beijinger” também repercutiu hoje a controvertida corrida de Zuckerberg e publicou em seu site: “Até onde ele vai chegar para ganhar o favor da China?”. / EFE

Mais conteúdo sobre:

ChinaFacebookMark Zuckerberg