11 de setembro completa nove anos em meio a tensão e polêmica nos EUA

Pastor que ameaça queimar Alcorão e construção de centro islâmico no marco zero politizam data

estadão.com.br,

10 de setembro de 2010 | 16h54

WASHINGTON - Os atentados contra o World Trade Center e o Pentágono completam nove anos neste sábado em meio a tensão e polêmica nos EUA. O plano de um pastor protestante de queimar exemplares do Alcorão - o livro sagrado do Islã - no aniversário do ataque e o da construção de um centro islâmico perto do 11 de setembro politizaram a data e geraram preocupação nos EUA e no mundo.

Veja também:

blog Gustavo Chacra: Bastidores da cidade de Terry Jones

mais imagens Galeria de fotos: Muçulmanos protestam contra queima do Alcorão

especial Linha do tempo: Principais atentados desde o 11/09

Na sexta-feira, após voltar atrás na queima do Alcorão, o reverendo Terry Jones tentou confundir a opinião pública, dizendo que havia suspendido e não cancelado o ato. Ele quer que autoridades religiosas islâmicas que planejam o centro perto do marco zero alterem o local da construção.

"No momento, não temos planos de fazer isso" (queimar o Alcorão)", disse Jones, à rede de TV ABC. "Acreditamos que o imã vai manter sua palavra, o que nos prometeu ontem... Acreditamos que iremos, como ele disse e prometeu, nos reunir com o imã em Nova York."

Pelo mundo, ocorreram protestos em diversos países islâmicos contra a possível queima do livro sagrado do Islã. Afeganistão, Paquistão Índia e Indonésia enfrentaram manifestações antiamericanas.

Nos EUA, as autoridades advertiram o pastor de que executar o 'Dia da Queima do Alcorão' pode colocar em risco vidas de soldados americanos no Afeganistão.

O presidente Barack Obama criticou indiretamente o pastor ao indicar que o caso não deveria ser superestimado.

"Esperamos que isso não se repita pelo país como um modo de ganhar atenção. Não se brinca com isso. Vidas de homens e mulheres de uniforme estão em jogo", disse o presidente.

Centro islâmico

O projeto do centro islâmico perto do Marco Zero tem despertado críticas dos familiares das vítimas dos atentados de 2001, realizados por fundamentalistas islâmicos. Eles consideram o local sensível para a construção do centro e acreditam que erguê-lo ali seria um ato de desrespeito.

 

O complexo de 13 andares que está sendo construído foi orçado em US$ 100 milhões. O centro terá uma mesquita, estações culturais, áreas esportivas e outros espaços públicos.

 

O governo do Estado de Nova Jersey já ofereceu um terreno longe do Marco Zero para a construção do centro. Os idealizadores do projeto, porém, alegam que ele atenderia a comunidade de Manhattan e descartaram levá-lo para outro lugar.

 

Cerimônias

O vice-presidente Joe Biden vai comparecer a uma homenagem pelas vítimas dos atentados em um parque perto do marco zero, onde 2.752 pessoas morreram. Haverá quatro minutos de silêncio, representando os momentos em que os aviões atingiram as duas torres e quando ambas desabaram.

Um comício a favor da construção do centro islâmico foi organizado por partidários do projeto. Outro contrário também está marcado para este sábado.

AP, Reuters e Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.