6 são acusados por morte e tortura de doente mental nos EUA

Jennifer Daugherty, de 30 anos, foi obrigada a tomar urina, torturada e depois assassinada a punhaladas

Associated Press,

12 de fevereiro de 2010 | 20h46

Seis pessoas foram acusadas de homicídio criminoso, sequestro e crimes relacionados pela morte de Jennifer Daugherty, uma doente mental de 30 anos cujo corpo estava desaparecido desde segunda e foi encontrado na quinta-feira no colégio Salem de Greensburg, a 50 km de Pittsburgh, na Pensilvânia.

 

A mulher com problemas mentais foi obrigada a comer azeite vegetal, pimenta, detergente, tomar urina e escrever um bilhete dizendo que iria se suicidar. Depois, foi mora a punhaladas, envolta em plástico, colocada em uma lata de lixo e abandonada no estacionamento de uma escola, de acordo com a polícia e os familiares.

 

A cabeça de Daugherty havia sido rabiscada e tinha decorações e roupas de Natal amarradas. Ela também foi agredida com uma toalha, um tubo de aspirador e uma muleta.

 

Os acusados são Robert Loren Masters Jr., de 36 anos; Ricky Smyrnes, 23; Melvin Knight, 20, e Amber Meidinger, 20, todos de Greensburg; una garota de 17 años de Greensburg, y Peggy Darlene Miller, 27, de Mount Pleasant Township. Todos estão detidos sem fiança na prisão do condado de Westmoreland. Não se sabe se tem advogados.

 

O padrasto da vítima, Bobby Murphy, de Mont Pleasant, disse a AP que Jennifer tinha a idade mental de uma garota de 12 a 14 anos. Murphy acrescentou que foi o último membro da família a ver Jennifer viva, na segunda, quando a levou para pegar um ônibus em Greensburg, onde ela frequentava uma dentista e uma conselheira que a ajudavam com seu retardo mental.

Tudo o que sabemos sobre:
doente mentalmortetorturasequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.