Ação russa na Geórgia pode prejudicar laços com EUA

A Casa Branca avisou a Rússia no domingoque a escalada da ação militar no conflito da Geórgia poderiacausar um "impacto significativo de longo prazo" nas relaçõesentre Washington e Moscou. James Jeffrey, assessor de segurança nacional do presidentenorte-americano, George W. Bush, disse que seriaparticularmente importante a reação russa à retirada das forçasgeorgianas da região separatista de Ossétia do Sul. O ministro do interior da Geórgia disse anteriormente queas forças haviam se retirado da Ossétia do Sul, onde estavamlutando contra as tropas russas pelo controle da região. O exército russo confirmou a retirada da Geórgia da capitalda região. "Nós lamentamos as ações perigosas e desproporcionais dasforças russas e estaremos particularmente preocupados se osataques continuarem agora que os georgianos estão seretirando", disse Jeffrey. Além disso, os Estados Unidos estariam "muito, muitopreocupados se de fato houver ataques dentro da Geórgia foradessas áreas de Abkházia e Ossétia", acrescentou. A retirada georgiana ocorre após três dias de intensoscombates em uma tentativa da Geórgia de retomar o controle daregião separatista pró-Moscou, que levou à invasão da Rússia emOssétia do Sul e ao lançamento de ataques aéreos na Geórgia. A Rússia bombardeou um aeroporto militar nas proximidadesda capital da Geórgia na manhã de domingo, e Tbilisi disse queos russos também estariam levando suas tropas para Alkházia, noMar Negro, outra região rebelde que se separou de Tibilisi noinício dos anos 90 após uma guerra. Bush conversou com o primeiro-ministro russo, VladimirPutin, e com o presidente Dmitry Medvedev. Ele também planejase reunir com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, segundo aCasa Branca. A França detém a presidência rotativa da UniãoEuropéia. Navios de guerra russos chegaram ao Mar Negro na costa daGeórgia no domingo, segundo informou a agência de notícias RIA,citando uma fonte da marinha. A intenção seria impedir aentrada de armas pelo mar. "Nós deixamos claro para os russos que uma escaladadesproporcional e perigosa do lado russo continua, e que issovai ter um impacto significativo e de longo prazo nas relaçõesentre a Rússia e os Estados Unidos." Jeffrey renovou o pedido norte-americano para umcessar-fogo e disse que os dois lados deveriam recuar àsposições de antes do conflito. "Nós estamos pedindo aos sul-ossetianos e aos georgianospara sentarem e se encontrarem e estamos pedindo aos russospara cessarem os ataques", ele disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.