Grupo no Senado dos EUA trabalha por acordo em lei de imigração

Com o acordo entre empresários e trabalhadores, um grupo bipartidário de senadores norte-americanos resolveu as principais questões para uma reforma no sistema imigratório dos Estados Unidos e pretende apresentar o resultado quando o Congresso voltar à ativa na segunda semana de abril.

THOMAS FERRARO AND STEVE HOLLAND, Reuters

31 de março de 2013 | 17h52

Os parlamentares disseram que, apesar de não terem ainda um acordo final, eles esperam que haja um logo, assim que as medidas forem colocadas na linguagem legislativa para que os oito senadores do grupo possam revisá-las.

A Câmara de Comércio dos Estados Unidos e a federação sindicalista AFL-CIO, a maior do país, chegaram a um acordo sobre o tema na sexta-feira.

O projeto vai incluir a possibilidade de cidadania norte-americana para um número estimado de 11 milhões de imigrantes irregulares. Vai prever também mais segurança na fronteira, além de formas para os empresários atenderem a sua demanda por empregados qualificados e não qualificados.

"Com o acordo entre empresários e trabalhadores, todos os principais temas foram resolvidos", disse o senador Charles Schumer, de Nova York e do Partido Democrata. Ele é um dos líderes do grupo bipartidário, que conta com quatro senadores democratas e quatro republicanos.

"Todos concordamos que não teremos um acordo final até vermos o esboço do projeto legislativo", afirmou Scummer em entrevista à rede de TV NBC. "Não acho que qualquer um de nós espera agora qualquer problema", acrescentou.

O senador republicano Jeff Flake, do Arizona, integrante do grupo bipartidário, também foi entrevistado pela NBC. "Estamos comprometidos com isso, se conseguirmos colocar (o acordo) na linguagem correta", declarou.

O também republicano Lindsey Graham, senador de Carolina do Sul, afirmou: "Acho que temos um acordo". À CNN, ele disse que ainda faltavam alguns detalhes. "Mas conceitualmente temos um acordo entre empresários e trabalhadores", declarou. Ele se disse confiante em relação à aprovação do projeto no Congresso.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACONGRESSOIMIGRACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.