Acusações do Irã contra americanos são infundadas, diz Hillary

Três jovens foram detidos por entrar na República Islâmica ilegalmente e serão julgados por espionagem

Agência Estado e Associated Press,

14 de dezembro de 2009 | 15h52

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disse nesta segunda-feira, 14, que as acusações contra três americanos detidos por entrar ilegalmente no país são "completamente infundadas" e apelou às autoridades iranianas que os libertem.

 

Hillary disse que os três não estavam de maneira alguma envolvidos em atividades duvidosas e estavam simplesmente caminhando perto da fronteira do Irã com o Iraque quando cruzaram a fronteira não sinalizada. As declarações da secretária vêm após os ministro de Exteriores do Irã dizer que os detidos tinham "intenções duvidosas" e seriam julgados por espionagem.

 

"Consideramos essa uma acusação completamente infundada. Não há base para ela. Os três jovens detidos pelos iranianos não tem conexão alguma com qualquer ação contra o Estado e o governo iraniano", disse Hillary.

 

"Na verdade, eles estavam caminhando e, inesperada e infelizmente, cruzaram a fronteira não sinalizada. Nós pedimos às lideranças do Irã que os libertem o mais rápido possível", completou a secretária.

 

Os americanos - Shane Bauer, 27, Sarah Shourd, 31, e Josh Fattal, 27 - foram detidos nos dia 31 de julho. Os três estudam na Universidade da Califórnia em Berkeley e estavam caminhando na região do Curdistão no Iraque, segundo seus parentes.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIrãacusaçõesHillaryClinton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.