Acusado de planejar atentado em Washington declara-se culpado

Um ex-soldado norte-americano acusado de colocar uma bomba na rota de um desfile em comemoração ao dia de Martin Luther King Jr., em Washington, declarou-se culpado de crime de ódio e porte de armas nesta quarta-feira.

LAURA L. MYERS, REUTERS

07 Setembro 2011 | 18h25

Kevin Harpham, de 37 anos, entrou com seu pedido no Tribunal Distrital dos Estados Unidos de Spokane, em Washington, dias antes de ir a julgamento, como parte de um acordo com promotores que concordaram em caracterizá-lo como supremacista branco.

Com o acordo, Harpam será condenado a um período de 27 a 32 anos de prisão e será supervisionado pela vida toda após sua soltura.

O acordo está sujeito à análise do tribunal e a uma aprovação formal antes da sentença final. Harpham foi preso em sua casa em Colville, Washington, em 9 de março.

A bomba, que estava em uma mochila abandonada, com fios visíveis, foi descoberta em um banco no centro de Spokane, na rota do desfile, por três trabalhadores da cidade que avisaram a polícia cerca de meia hora antes do início programado da marcha, segundo o FBI.

Mais conteúdo sobre:
EUA SOLDADO BOMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.