Acusados do 11 de Setembro comparecem à corte em Guantánamo

Por Jane Sutton BASE NAVAL DOS EUA NA BAÍA DE GUANTÁNAMO, Cuba (Reuters) -O membro da Al Qaeda acusado de ter planejado "de cabo a rabo"os ataques de 11 de Setembro de 2001 contra os Estados Unidoscompareceu na quinta-feira, pela primeira vez, diante de umacorte militar norte-americana. Ele estava ao lado de quatro co-réus, em um julgamento porcrimes de guerra realizado na baía de Guantánamo (Cuba) e quepode acabar com a execução deles. O paquistanês Khalid Sheikh Mohammed, o mais importantemembro da Al Qaeda atualmente em poder dos EUA, sentou-sediante uma mesa da corte. Ele apresentava uma longa barbagrisalha e óculos grandes. Em plena corte ele cantou um salmo a Alá e saudou a pena demorte. "Isto é o que eu quero, ser martirizado", disseMohammed. O acusado usava uma túnica branca e um turbante,contrastando com a camiseta branca e amarrotada que vestiaquando capturado e fotografado em uma operação de 2003, noPaquistão. Mohammed e os co-réus Ali Abdul Aziz Ali, Ramzi Binalshibh,Mustafa Ahmed al-Hawsawi e Walid bin Attash são acusados deatos terroristas e de conspirarem com a Al Qaeda a fim deassassinar civis nos ataques que fizeram contra o governo doatual presidente norte-americano, George W. Bush. Os quatro também enfrentam 2.293 acusações de assassinato,uma para cada pessoa morta nos ataques de 2001, quando aviõescomerciais foram jogados contra o World Trade Center, em NovaYork, contra o Pentágono, em Washington, e sobre um campo decultivo na Pensilvânia. Os cinco réus compareceram à corte espontaneamente e nenhumdeles ficou algemado dentro da sala, disse uma porta-voz paraos julgamentos. Antes de iniciar oficialmente a sessão, o juiz, coronel doCorpo de Fuzileiros Ralph Kohlmann, avisou que cortaria osalto-falantes colocados na área dos espectadores, do outro ladodo muro de vidro que a separa da sala de audiências, caso fossenecessário a fim de impedir a divulgação de informaçõespotencialmente secretas. Mohammed afirmou no ano passado que havia contatado Osamabin Laden com a proposta de sequestrar aviões e jogá-los contraprédios importantes dos EUA. Depois o acusado supervisionou aexecução do plano, segundo revelaram transcrições dosinterrogatórios realizados pelos militares norte-americanos. Os outros réus são acusados de ajudar a escolher, treinar epatrocinar os 19 sequestradores, de ajudá-los a fazer aulas depiloto e de ajudá-los a viajarem para os EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.