Afegão acusado de tentar explodir metrô de NY terá de deixar os EUA

Ahmad Afzali não confessou ter participado do planejamento do ataque, mas admitiu ter mentido ao FBI

15 de abril de 2010 | 20h55

Associated Press

 

NOVA YORK- Um homem afegão que se declarou culpado por mentir para o FBI sobre a tentativa de um atentado a bomba suicida no metrô de Nova York não irá para a prisão, mas tem de deixar os Estados Unidos em 90 dias, decidiu um juiz nesta quinta-feira, 15.

 

Veja também:

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

Ahmad Afzali já ficou seis meses na prisão,e assumiu sua culpa por ter mentido ao FBI nas investigações no mês passado. Afzali afirmou que queria cooperar com os agentes, mas mentiu ao afirmar a Najibullah Zazi, membro da Al-Qaeda, que nunca esteve sob vigilância em nova York.

 

"Eu assumo toda a responsabilidade por meus atos", disse Afzali ao juiz Frederic Block. "Honesto a Deus, nunca foi minha intenção ajudar esses idiotas pelo que eles fizeram em nome do Islã", afirmou, em referência aos suspeitos de terrorismo.

 

Se Afzali não deixar o país no prazo estipulado, ela será deportado ao Afeganistão. O juiz notificou que ele não pode retornar aos Estados Unidos sem permissão especial do governo dos EUA.

 

Zazi admitiu que testou materiais para fazer bombas em um subúrbio de Denver antes de viajar a Nova York, com o intento de atacar o metrô.

 

Dois outros homens suspeitos de estarem envolvidos no atentado, Adis Medunjanin and Zarein Ahmedzay, se declararam inocentes a acusações de que tentaram se juntar a Zazi, no que as autoridades descreveram como "três ataques coordenados" no metrô de de Manhattan, que seriam realizados dias depois do 11 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.