Agentes são afastados por permitirem penetras na Casa Branca

Três agentes do serviço secreto dos Estados Unidos foram afastados com licença remunerada depois de deixarem um casal entrar sem convite no jantar oficial de Barack Obama na semana passada.

REUTERS

03 de dezembro de 2009 | 19h26

O casal apertou as mãos do presidente e tirou fotos ao lado de várias autoridades do governo norte-americano.

O diretor do serviço secreto, Mark Sullivan, que passou a manhã sendo questionado por parlamentares no Capitólio sobre a falha na segurança, disse que a agência havia identificado os agentes que trabalharam no posto de checagem.

"Os procedimentos estabelecidos relacionados ao ingresso na Casa Branca não foram seguidos no posto de checagem inicial", disse Sullivan ao comitê da Câmara dos Deputados.

"Foi cometido um erro. Em nossa linha de trabalho nós não podemos permitir nem um erro".

Sullivan assumiu a responsabilidade pela falha na segurança que deixou que Michaele Salahi, candidata a participar de um reality-show na TV, e seu marido Tareq entrassem no jantar sem um convite. Ele disse que a falha é "inaceitável e indefensável".

Embora os Salahi não tivessem recebido um convite para o jantar de gala em honra ao premiê indiano Manmohan Singh, eles conseguiram convencer os seguranças a deixá-los entrar na Casa Branca.

Os agentes não seguiram os procedimentos que exigem que eles chamem um membro do staff da Casa Branca se forem abordados por pessoas que tentam entrar em um evento, mas que não estão na lista de convidados, disse Sullivan.

Mas ele afirmou que Obama e Singh nunca correram perigo.

(Reportagem de Deborah Charles)

Tudo o que sabemos sobre:
EUASERVICOSECRETOCASABRANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.