Al Qaeda continua sendo a maior ameaça, diz Casa Branca

A Al Qaeda continua sendo a ameaçaterrorista "mais séria e perigosa" contra os Estados Unidos edeve intensificar seus esforços para infiltrar agentes no país,disse um relatório da Casa Branca na terça-feira. O texto diz que o grupo islâmico conseguiu proteger sualiderança, substituiu seus lugares-tenentes e "regenerou umesconderijo" nas áreas tribais do Paquistão, e continuabuscando armas de destruição em massa (químicas, biológicas,radiológicas ou nucleares). Essa "Estratégia Nacional de Segurança Doméstica" éatualização de um documento emitido em julho de 2002 pela CasaBranca, ainda antes da ocupação do Iraque. Ele incorpora asconclusões de uma estimativa de inteligência nacional feitaneste ano, que já alertava para a persistência da ameaça da AlQaeda. "Embora tenhamos descoberto apenas um punhado de indivíduosnos Estados Unidos com laços com a cúpula da Al Qaeda, o grupoprovavelmente vai intensificar seus esforços para colocaragentes aqui na pátria", disse o relatório. Fran Townsend, assessora de segurança doméstica da CasaBranca, disse que identificar agentes da Al Qaeda dentro dosEUA é "a maior prioridade individual" do FBI e do Departamentode Justiça. Apesar das suspeitas de que a liderança da Al Qaeda seesconde no Paquistão, a Casa Branca reiterou que o presidentepaquistanês, Pervez Musharraf, é útil no combate ao terrorismo."Apreciamos alguns dos nossos maiores sucessos com nossosaliados do Paquistão", disse Townsend a jornalistas. Autoridades dos EUA suspeitam que o líder da Al Qaeda,Osama bin Laden, esteja escondido nas montanhosas e quaseinacessíveis áreas tribais na fronteira do Paquistão com oAfeganistão. Um ex-chefe paquistanês de inteligência disse, porém, queseria mais fácil para Bin Laden se esconder numa cidade do quenas áreas tribais. O relatório da Casa Branca diz que o grupo xiita libanêsHezbollah pode ficar cada vez mais propenso a atacar os EUAcaso considere que Washington representa "uma ameaça direta aogrupo ou ao Irã, seu principal patrocinador". O texto também manifesta preocupação com o uso deexplosivos improvisados em um ataque em territórionorte-americano, devido à relativa facilidade de preparação, eantecipa que a Casa Branca está preparando uma estratégianacional contra tal ameaça. (Reportagem adicional de Matt Spetalnick)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.