Americana é encontrada depois de oito dias desaparecida

Após muita insistência do marido, os policiais encontraram Tânia Rider dentro de carro soterrado

AP

28 de setembro de 2007 | 18h07

Durante os oito dias em que Tânia Rider, de 33 anos, esteve desaparecida, seu marido, Tom Rider, brigou com autoridades policiais para que fossem procurá-la.   Rider foi encontrada viva, mas desidratada, na quinta-feira, 27. O carro estava soterrado cerca de seis metros abaixo de um barranco e debaixo de árvores. Foi necessário arrancar o teto para retirá-la. Ela não conseguiu escapar por causa dos machucados e das condições do veículo.   O policiais conseguiram detectar a localização geral de Tânia pela cobertura de seu celular. Depois a procuraram na rodovia que ela pegou para voltar para casa, em Maple Valley. Notaram algumas marcas e encontraram o carro de Rider esmagado.   "Ela estava muito pálida e desidratada. Mas não tinha muitos cortes nem dificuldades para respirar", afirmou o porta-voz da Polícia Estadual, Jeff Merrill.   Na manhã desta sexta-feira, 28, Rider estava em condições críticas e lutava pela vida no Harborview Medical Center, afirmou o marido. Ele disse que, por ela ter ficado na mesma posição durante uma semana, apresenta problemas renais e pode ter uma perna amputada.   "Tudo o que sei é que ela está aqui e está viva e isso já é um milagre", afirmou à CNN. "Ela está viva depois de oito dias. Se Deus queria levá-la, poderia ter feito isso antes".   Insistência   Tânia Rider saiu do trabalho, em Seattle, em 19 de setembro, mas não chegou em casa. Quando o marido não conseguiu localizá-la, ligou para a polícia local para comunicar o desaparecimento.   A policia fez o boletim, mas quando as autoridades encontraram um vídeo de Tânia pegando o carro, depois do trabalho, disseram que o caso era de outra jurisdição. "Eu praticamente os persegui até eles começassem a investigar", afirmou. Para ele, a burocracia foi a responsável pela demora em achá-la.   Rider também ofereceu U$ 25 mil por qualquer informação que pudesse ajudá-lo a encontrar a esposa.

Tudo o que sabemos sobre:
Desaparecimento, americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.