Americano é preso por revelar segredos militares a Israel

Engenheiro com acesso às instalações nucleares teria fornecido informações durante a década de 1980

Agências internacionais,

22 de abril de 2008 | 12h25

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos afirmou nesta terça-feira, 22, que um engenheiro americano foi detido sob a acusação de fornecer segredos militares e informações sobre armas nucleares, jatos e mísseis ao governo de Israel na década de 1980.  Ben-Ami Kadish, um cidadão americano que trabalhou para o Exército em Nova Jersey, é suspeito de trabalhar para o mesmo governo israelense que o ex-analista de informações da Marinha Jonathan Jay Pollard, revelado pelo FBI em 1985. Documentos apontam que Kadish forneceu informações confidenciais entre 1979 e 1985, e seus contatos com informantes de Israel seguiram até março desde ano.  O espião americano Jonathan Jay Pollard foi acusado de vender segredos militares a Israel e condenado à prisão perpétua, sentença considerada excessiva pela comunidade. Pollard confessou-se culpado em 1986. Os documentos, entregues por Kadish a um funcionário do consulado israelense em Nova York, revelam dados de caças F-15 que os EUA teriam vendido a outro país. O engenheiro levava o material para sua casa, onde o funcionário empregado como responsável por "consul para assuntos científicos", os fotografava e transmitia para o Estado judeu.   Entre os segredos revelados estão informações sobre o sistema de defesa aérea dos mísseis Patriot, que na época eram consideradas confidenciais pelo Exército americano.  Não houve comentário imediato do governo israelense, mas uma autoridade da Defesa de Israel disse que acha difícil acreditar que depois do caso Pollard, o governo recrutaria um espião americano. Uma autoridade do Departamento de Justiça disse que Kadish não parecia receber dinheiro em troca de sua suposta espionagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.