Americano mata policial com fuzil da 2ª Guerra

Homem suicidou-se em seguida; como arma é considerada relíquia, sua posse sem registro não representa delito

Efe, Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h09

Um rapaz de 15 anos matou um policial e feriu outro gravemente com um fuzil da Segunda Guerra Mundial, e depois se suicidou, revelaram na terça-feira, 19, as autoridades do estado americano de Kentucky. O incidente aconteceu na segunda-feira, na casa do jovem, a cerca de 20 quilômetros da cidade de Louisville. Um porta-voz da polícia disse que a arma tinha sido comprada pelo pai de Tyler Dumstorf. O rapaz utilizava o fuzil para práticas de tiro. Como a arma era considerada uma relíquia, a sua posse sem registro não representava um delito. Fontes da promotoria do estado disseram que os policiais chegaram à casa de Dumstorf chamados por sua mãe. Ele devia se apresentar na terça-feira a um tribunal, para responder a acusações de consumo de maconha. "Nada indicava que se tratasse de algo mais que um incidente doméstico e rotineiro", disse o promotor Keith Henderson. Quando os agentes falavam com a mãe, o rapaz atirou, ferindo os dois pelas costas. Pouco depois, segundo o promotor, o jovem enviou uma mensagem pela internet. "Acabo de matar dois policiais. Adeus", escreveu. Seu corpo foi achado na manhã seguinte. O policial Frank Denzinger morreu poucas horas depois de levar o tiro nas costas. Seu companheiro, Joel White, foi internado em estado grave. Tyler Dumstorf acabava de completar o primeiro ano do ensino médio.

Mais conteúdo sobre:
guerra EUA morte suicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.