Barry Gutierrez/Reuters
Barry Gutierrez/Reuters

Americano receberá U$ 4 mi após 10 anos de prisão por engano

Tim Masters foi condenado em 1999 injustamente por homicídio; quantia dará para 'bom recomeço' diz advogado

estadao.com.br,

17 de fevereiro de 2010 | 08h46

O americano Tim Masters receberá US$ 4,1 milhões (cerca de R$ 8 milhões) da justiça dos EUA por ter ficado preso por quase 10 anos após ser condenado injustamente à prisão por conta de um assassinato que não cometeu, informou na terça-feira, 16, o canal de notícias CNN.

 

A justiça do condado de Larimer, no Colorado, aprovou uma ação de indenização de Masters após um juiz revogar a sentença que o deixou quase uma década atrás das grades. "Não há quantia de dinheiro que devolva os dez anos perdidos. Tim apenas desejou que isso nunca tivesse acontecido com ele, mas aconteceu. Vai dar par Aum bom recomeço", disse David Wymore, advogado de Masters, sobre os U$ 4,1 milhões.

 

Masters tinha 15 anos quando a Polícia de Fort Collins começou a investigá-lo sobre o assassinato de Peggy Hettrick, cujo corpo foi encontrado violentado e mutilado em um campo próximo da casa do americano. Masters foi então condenado e passou quase dez anos na cadeia, quando foi libertado em 2008 depois de novas evidências provarem sua inocência. O caso ainda não foi resolvido.

 

Outro representante legal de Masters, David Lane, lembrou que ainda existe uma ação contra a cidade de Fort Collins pendente na justiça e que a indenização dará para um "bom começo" para compensar "um homem que foi tachado por um crime que não cometeu".

 

Wymore, que representou Masters durante todo o processo para inocentá-lo, disse que seu cliente está feliz com a indenização, mas que ele ainda acredita que "alguém deveria se desculpar pelo que aconteceu, porque não foi um acidente".

 

Masters, de 38 anos, não comentou o caso por conta da ação ainda pendente na justiça contra a Polícia de Fort Collins. Em um comunicado divulgado por seu advogado, ele se disse satisfeito com a indenização e ansioso para ver o fim do caso. "Eu teria pago U$ 10 milhões ou o que fosse necessário se eu pudesse ter esses anos de volta em minha vida. Infelizmente, isso nunca acontecerá", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
indenizaçãoEUAprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.