Ampliação de assentamentos judaicos é 'um problema', dizem EUA

Os Estados Unidos manifestaram naterça-feira sua insatisfação com os planos israelenses deampliar os assentamentos na Cisjordânia, qualificando-os como"um problema". No mesmo dia, a secretária de Estado norte-americana,Condoleezza Rice, se reuniu com o ministro israelense deDefesa, Ehud Barak. Eles falaram de vários assuntos,especialmente do programa nuclear do Irã, que preocupa ambospaíses. Mais tarde, Rice se encontrou com o negociador palestinoAhmed Qurei. Na tarde de quarta-feira, ela deve ter uma reuniãotripartite com ele e com a chanceler de Israel, Tzipi Livni. Até agora não há avanços tangíveis desde a retomada doprocesso de paz, em novembro, e existe um ceticismogeneralizado quanto às chances de concluí-lo ainda durante omandato do presidente George W. Bush, que termina em janeiro. Rice disse que vai se empenhar para que haja um acordoneste ano, mas disse que "ninguém deve subestimar adificuldades em fazer isso". "O Oriente Médio não ficará melhor sem a criação de umEstado palestino que conviva com Israel num clima de paz,segurança e democracia", disse ela em entrevista coletiva."Então a questão é: se não for agora, é quando?" Além de buscar um acordo, Rice tenta manter palestinos eisraelenses atrelados ao "mapa da paz" proposto em 2003 porWashington. Esse plano inclui exigências de ambas as partes --do lado palestino, controlar a militância, e do ladoisraelense, suspender a ampliação dos assentamentos, entreoutras. Recentemente, uma comissão do ministério israelense daDefesa aprovou a construção de 20 casas em Maskiot, uma basemilitar abandonada no vale do Jordão, longe dos principaisblocos de assentamentos judaicos da Cisjordânia, que Israelespera manter para si num eventual acordo. O negociador palestino Ahmed Qurei disse que o plano é umsinal da má-fé israelense. "É uma verdadeira violação. Éinfelizmente uma péssima mensagem sobre a intenção de alcançarum acordo", afirmou ele depois do encontro com Rice. Barak disse que Israel considera a construção justificada,mas lembrou que a aprovação concedida é apenas um passo dentrode vários procedimentos, e que o projeto ainda está num estágiopreliminar. (Reportagem adicional de Dan Williams e Susan Cornwell) REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.