ANÁLISE-McCain se firma como favorito entre republicanos

A vitória na primária de terça-feirada Flórida fez do senador John McCain, que há seis meses viviapraticamente no ostracismo político, o claro favorito nadisputa pela indicação republicana à eleição presidencial denovembro nos Estados Unidos. Aos 71 anos, McCain tenta se tornar a pessoa mais velha jáeleita para um primeiro mandato presidencial nos EUA. Eleobteve uma apertada vitória na Flórida sobre Mitt Romney, quegastou, segundo estimativas, o triplo do que o senador na suacampanha no Estado. "Nossa vitória pode não ter atingido proporçõesesmagadoras, mas mesmo assim foi doce", disse McCain festejandoo resultado em Miami. Os republicanos cada vez mais vêem McCain como o candidatomais viável do partido. Por isso, ele chega com vantagem à"superterça", 5 de fevereiro, quando 21 Estados fazem préviasda legenda. O favoritismo deve ficar ainda maior com o esperado apoiode Rudy Giuliani, que ficou em um distante terceiro lugar naFlórida, onde apostava todas as suas fichas, e deve desistir dacandidatura. McCain aparece bem nas pesquisas em Estados que elegemmuitos delegados na "superterça", como Califórnia, Nova York eNova Jersey. "McCain agora tem o impulso para varrer (os adversários) na'superterça"', disse o marqueteiro republicano Scott Reed. "Eleprovou aos que duvidavam que pode reunir uma coalizão vencedoraà direita do centro, e agora é o favorito à indicaçãorepublicana." McCain vem se beneficiando do sólido apoio dos republicanosmoderados e dos conservadores mais interessados em questões desegurança nacional. Independentes também tendem a votar nele. "Ele está demonstrando a capacidade de ter um apelo além dabase tradicional do Partido Republicano", disse Merle Black,que leciona Ciências Políticas na Universidade Emory (Atlanta). Em meados do ano passado, McCain parecia muito distante daCasa Branca, quando sua campanha ficou sem dinheiro e ele tevede demitir assessores. Na época, conseguia menos de 10 porcento nas pesquisas nacionais. Agora, é o homem a ser batido entre os republicanos, comoficou claro na campanha da Flórida, em que ele e oex-governador de Massachusetts Mitt Romney trocaram váriosinsultos na tentativa de provarem sua capacidade para liderar opaís.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.