Após 27 anos, DNA liberta preso no Texas

O norte-americano James Woodward, de 55anos, foi libertado na terça-feira por um tribunal de Dallasdepois que um exame de DNA comprovou que ele foiequivocadamente condenado por homicídio e estupro contra suanamorada, há mais de 27 anos, informou a imprensa local. Nunca na história dos EUA ninguém havia passado tanto tempopreso por engano para ser em seguida libertado graças a umexame de DNA, de acordo com a mídia texana. É a 18a vez que o Condado de Dallas liberta uma pessoa combase em exames de DNA feitos após a sentença, de acordo com oprojeto Innocence, de Nova York, especializado em corrigirerros judiciais. Nenhum outro Condado dos EUA teve de voltar atrás tantasvezes, o que indica problemas no Judiciário local --que segundocríticos tem um histórico de discriminação racial. Woodward é negro, o perfil mais comum entre as vítimas deerros judiciais em Dallas e no resto dos EUA. "Chegamos a um momento de virada na questão das condenaçõesequivocadas no Texas. Ninguém pode duvidar seriamente de que háum problema", disse o senador estadual Rodney Ellis naterça-feira ao projeto Innocence. Ellis disse também que haverá uma reunião no Legislativolocal, em Austin, no dia 8, para determinar as causas dos errosjudiciais no Texas e identificar reformas possíveis. (Reportagem de Ed Stoddard)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.