Após discurso de Bush, Cuba deixa plenário da ONU

Presidente americano cita falta de liberdade de expressão da ilha e delegação cubana abandona Assembléia

Efe e Associated Press,

25 de setembro de 2007 | 12h12

A delegação cubana deixou nesta terça-feira, 25, a sala do plenário da Assembléia Geral da ONU ao ouvir as alusões à falta de liberdade na ilha feita pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em seu discurso.   Veja também: Ban alerta para 'série assustadora de desafios' Chávez cancela discurso na Assembléia GeralPaíses ricos precisam dar exemplo, diz Lula Em discurso, Bush anuncia sanções contra Mianmá   Bush denunciou a falta de liberdade existente em Cuba, "onde não há liberdade de expressão, de associação nem eleições livres". O presidente americano pediu que a ONU pressione o regime castrista neste momento de transição do governo.   A delegação cubana divulgou pouco depois um comunicado por meio do qual afirmava ter abandonado o recinto "em manifestação de profundo repúdio às declarações medíocres e arrogantes do presidente Bush".   A missão cubana acusou o presidente americano de ser "o responsável pela morte de mais de 600.000 civis no Iraque, por autorizar a tortura de prisioneiros na base naval de Guantánamo, pelo seqüestro de pessoas, por vôos clandestinos e por prisões secretas".   Ainda de acordo com os cubanos, Bush "é um criminoso sem autoridade moral nem credibilidade para emitir juízo sobre nenhum outro país".   Em seu discurso na Assembléia Geral da ONU, Bush reivindicou a importância da Declaração dos Direitos Humanos e que é violada em muitos lugares do mundo.   Bush evitou falar sobre os grandes conflitos internacionais, e só mencionou superficialmente o Irã como um dos países onde não há liberdades e as pessoas vivem com medo. Porém, o presidente americano reforçou o caso de Cuba e Mianmá, o qual os EUA adotarão sanções.    

Tudo o que sabemos sobre:
ONUCubaEUABush

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.