Após matar um nos EUA, Humberto vira tempestade tropical

Fenômeno afeta refinarias no Texas e aumenta preço do petróleo; pelo menos uma pessoa morre no sul do país

REUTERS

13 de setembro de 2007 | 12h24

O furacão Humberto enfraqueceu sobre o sudoeste da Louisiana e transformou-se em uma tempestade tropical segundo informações do Centro de Furacões dos Estados Unidos. A tempestade levou fortes chuvas à região e matou pelo menos uma pessoa.O Humberto atingiu no início da manhã desta quinta-feira, 13, o Texas com força de furacão e provocou o fechamento de três refinarias, além de ter levado o barril do petróleo a novo recorde, acima de US$ 80 dólares.  O fenômeno poupou Houston, mas devastou a região de Beaumont-Port Arthur, no sul do Texas, onde derrubou árvores, provocou um apagão e interrompeu as atividades de refinarias.  A refinaria da empresa Total Petrochemicals USA em Port Arthur, com capacidade para 232 mil barris por dia, parou devido à falta de energia na madrugada de quinta-feira, mas deve ser reativada ao longo do dia.  Parte da área que pode ser atingida pelo Humberto ainda se recupera dos danos deixados pelo furacão Rita, que chegou à fronteira da Louisiana com o Texas em 2005, três semanas depois de o furacão Katrina ter destruído Nova Orleans. Cerca de 100 mil lares e empresas deixaram de receber energia elétrica devido ao Humberto, e houve relatos sobre árvores e casas danificadas em uma grande área que se estende do oeste de Beaumont ao oeste do lago Charles (Louisiana), afirmaram autoridades. Em Orange (Texas), a operadora de rádio da polícia Tina Crowning disse que quase toda a cidade estava sem energia elétrica e que o volume de água acumulado em alguns pontos chegava à altura do joelho das pessoas. A cidade de Houston e o lago Charles, importantes centros de refino de petróleo como Beaumont-Port Arthur, parecem ter conseguido escapar quase intactos do furacão. "Desta vez, tivemos sorte," afirmou Dinah Massie Martinez, porta-voz da Houston Transtar, um órgão de emergência que reúne várias agências do governo. Na área que fica entre Houston e o lago Charles, em cidades como Bridge City (Texas) e Vinton (Louisiana), a história era outra. Ali, postos de luz haviam caído e estradas estavam fechadas devido ao acúmulo de água. Mas a principal via de tráfego da região, a Interstate 10, continuava aberta, disseram autoridades.  Temporada de furacõesA tempestade se formou na quarta-feira no golfo do México e entrou nos EUA 48 quilômetros a nordeste de Galveston, no sul do Texas. Esperava-se que Humberto chegasse como tempestade tropical, mas ganhou força repentinamente em contato com as águas quentes do golfo do México. Humberto é o terceiro furacão de 2007 no Atlântico. Seus antecessores, Dean e Felix, atingiram a categoria 5, o topo da escala. O Centro Nacional de Furacões noticiou à 0h de quinta-feira que uma outra tempestade, chamada por enquanto de Depressão Tropical 8, estava localizada cerca de 1.620 km a leste das Pequenas Antilhas, avançando na direção oeste-noroeste a 19 km/h. Ela não ganhou força conforme se previa, mas provavelmente vai virar uma tempestade tropical na quinta-feira, segundo os meteorologistas.  Nesta temporada, que começou em 1 de junho e acaba 30 de novembro, oito tempestades tropicais se formaram, incluindo a Humberto". Duas delas, Dean e Félix, transformaram-se em furacões de categoria 5, a maior na escala de intensidade Saffir-Simpson (que vai de 1 a 5).  Félix foi o segundo furacão consecutivo a chegar em terra na categoria 5 na mesma temporafa, algo inédito. Em agosto, Dean, também no topo da escala, matou 27 pessoas em sua passagem pelo Caribe e o México. A previsão dos especialistas era de que o furacão perdesse gradualmente sua força à medida em que avançasse por terra.

Tudo o que sabemos sobre:
CLIMAHUMBERTOENFRAQUECE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.