J Scott Applewhite/AP
J Scott Applewhite/AP

Após renúncia, general Stanley McChrystal se retira do serviço militar

Oficial que liderava as forças dos EUA no Afeganistão teve de renunciar após críticas ao governo Obama

AP,

23 de julho de 2010 | 22h22

WASHINGTON- O general Stanley McChrystal encerrou nesta sexta-feira, 23, uma carreira de 34 anos nas Forças Armadas dos Estados Unidos com um ato em seu quartel que marcou o último capítulo de sua repentina e polêmica saída do serviço militar.

 

McChrystal, o ex-comandante das forças americanas e da OTAN no Afeganistão e oficial que inspirava forte lealdade entre seus subordinados, foi destituído de seu cargo no mês passado logo após conceder duras declarações sobre o governo Obama à revista Rolling Stone.

 

Em um artigo, o general se queixou de que o presidente Barack Obama o atribuiu "uma posição indefinível" na guerra, e seus assessores mais próximos ridicularizaram funcionários como o vice-presidente, Joe Biden, a quem consideram ignorantes da complexidade da guerra.

 

Pouco depois da publicação da nota, McChrystal foi duramente criticado por Obama, que exigiu a renúncia do oficial. Para seu lugar, foi designado o general David Petraeus, até então chefe do Comando Central dos Estados Unidos.

 

O coronel Charles Flynn, assessor próximo de McChrystal, disse que ele planeja viver no norte da Virgínia, próximo ao Pentágono, após ter deixado sua residência na base Fort McNair de Washington.

 

"Atualmente, o general se concentra em sua transição, a mudança, sua família, e continua indeciso sobre as possibilidades de empregos futuros", disse Flynn por email à Associated Press.

 

Altos oficiais militares e do Departamento de Defesa disseram que estavam de acordo com a decisão de Obama de demitir o general, mas lamentavam a partida de um colega tão talentoso.

 

"É um amigo", disse Mike Mullen, chefe do Estado Maior Conjunto, pouco depois da destituição. "É um oficial extraordinário. Cometeu um erro severo", acrescentou.

 

No ano, passado, o secretário de Defesa Robert Gates deu o posto a McChrystal com a tarefa de reverter uma guerra estancada contra a firme insurgência afegã. O general tinha vasta experiência em operações especiais e já tinha perseguido integrantes da Al-Qaeda no Iraque, onde ajudou a dar um novo rumo ao curso da guerra.

 

A Casa Branca permitiu que McChrystal mantenha sua patente de quatro estrelas, apesar das regras do Exército exigirem que ele servisse mais dois anos para isso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.