Após terremoto no Canadá, Havaí tem alerta de tsunami

Ao menos 100.000 pessoas no Havaí receberam ordens para se retirar da região costeira e seguir para terreno mais alto na noite de sábado depois de um alerta de tsunami, mas as primeiras ondas foram menores do que se temia e nenhum dano foi inicialmente relatado.

JORENE BARUT E SUZANNE ROIG, Reuters

28 de outubro de 2012 | 10h28

No domingo, o alerta de tsunami foi rebaixado e a determinação de retirada da população foi revogada.

O tsunami, provocado por um forte terremoto na costa do Pacífico do Canadá, começou logo depois das 22h30 (horário do Havaí), segundo o Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico, enquanto motoristas lotavam as estradas em um êxodo maciço das áreas baixas.

"O tsunami chegou no momento em que o esperávamos", disse o geofísico sênior Gerard Fryer a jornalistas na coletiva de imprensa, dizendo: "Eu achava que ele seria um pouco maior".

A altura da primeira onda foi inicialmente registrada em 1 metro, mas o centro de alerta divulgou depois que a atividade de ondas iniciais do tsunami atingiu apenas 70 centímetros na ilha de Maui.

Não houve relatos imediatos de grandes inundações ou danos, mas as autoridades advertiram que ondas adicionais ainda eram possíveis.

As sirenes de alerta de tsunami nas ilhas foram ativadas em curto prazo por causa da confusão inicial entre os cientistas sobre o epicentro submerso do terremoto e a extensão da ameaça de tsunami representada pelo tremor.

O prefeito de Honolulu, Peter Carlisle, anunciou que a polícia e as equipes de emergência foram retiradas de zonas sob risco de enchentes pouco antes da primeira onda, deixando por conta própria quem tivesse desafiado as ordens de retirada. Ele advertiu os motoristas que tinham ficado presos nas estradas congestionadas a abandonarem seus veículos e continuarem a pé.

"Se você está preso no trânsito, deveria considerar sair de seu carro e andar até um terreno mais elevado. Você terá que avaliar sua própria situação, dependendo de onde está agora. O momento é crítico", disse.

Vindell Hsu, geofísico do Centro de Alerta de Tsunami, disse que cerca de 100.000 a 150.000 pessoas que vivem nas zonas costeiras do Havaí foram aconselhadas a partir para terrenos mais elevados até depois das 22h30.

O governador Neil Abercrombie divulgou um decreto de emergência para o Estado.

O centro de tsunami avisou que a altura das ondas não poderia ser prevista e que a primeira onda "poderia não ser a maior". Disse: "Toda as praias estão sob risco, não importa a direção em que estão".

Os alertas foram emitidos depois de um forte terremoto de magnitude 7,7 que atingiu a província costeira de Colúmbia Britânica no oeste do Canadá na noite de sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHAVAITSUNAMI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.