Às vésperas de convenções Iowa discute política com paixão

Uma mulher de Iowaprepara biscoitos com um retrato de John Edwards paradistribuí-los em festas, enquanto outra esculpiu a cabeça deBarack Obama com manteiga para exibi-la na noite das convençõespartidárias, na semana que vem. Iowa, Estado que dá a largada na corrida presidencialnorte-americana, está coberto de neve, mas, a menos de umasemana das convenções do dia 3, há cada vez mais gente batendode porta em porta, pendurando-se ao telefone ou usando reuniõesempresariais e jantares familiares para promover uma ou outracandidatura. No Meio-Oeste dos EUA, muita gente evita debatespartidários entre amigos e parentes. Não é o caso de Iowa, ondeapaixonadas conversas políticas são parte do cotidiano. Maridos e esposas, irmãos e irmãs, amigos e vizinhosdiscutem, debatem e às vezes discordam sobre quem deveria serindicado como candidato dos partidos Republicano e Democratapara as eleições de 4 de novembro. "É uma ótima sensação converter alguém", disse SallyOrtgies, funcionária do Departamento de Parques de Des MoinesOeste. Ela tenta convencer todo mundo --da secretária à irmã--a votarem no ex-senador John Edwards na convenção democrata. Para difundir as propostas do seu candidato para saúdepública e combate à pobreza, Ortgies costuma levar na bolsamaterial de campanha que ela distribui a amigos edesconhecidos. Já Sydni Grauberger se voluntários para angariar votos nalocalidade de Melbourne para o senador Barack Obama, que tentase tornar o primeiro negro a governar os EUA. Ela disse que,batendo de porta em porta ou com insistentes telefonemas, jáabordou cerca de 200 pessoas. Há quem não goste do assédio. Na semana passada, um velhoamigo da família bateu o telefone na cara dela. Mas Graubergernão se abala. Na quinta-feira, agitava um cartaz vermelho com afrase "Levante-se pela Mudança" num comício de Obama emMarshalltown. "Esta é uma coisa muito importante, sair por aí efazer sua voz ser ouvida", disse ela. A dona-de-casa Norma Lyon, 78 anos, de Toledo, gosta tantode Obama que esculpiu a cabeça dele em dez quilos de manteiga.Pretende levar a peça consigo para a convenção de quinta-feira. Também a disputa republicana atrai militantes, como ojoalheiro Hjalmar Hellberger, de Marshalltown, que faz campanhapor Mitt Romney. O empresário, de 83 anos, diz falar o tempo todo com amigose fornecedores a respeito do ex-governador de Massachusetts,mas conta que tem o cuidado de não assustar possíveis clientes. Hellberger votou em George W. Bush em 2004, mas se diz"maluco" com suas escolhas desde então. Ele acha que Romney é ohomem certo para colocar os EUA novamente nos trilhos. As pesquisas mostram que ainda há muitos indecisos, de modoque os cabos eleitorais de Iowa ainda têm bastante margem paratrabalhar até as convenções. (Reportagem adicional de Andy Sullivan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.