Assassino da Virginia Tech pode ter 'treinado' para o massacre

Testemunhas afirmam que homem suspeito espionou e trancou porta do prédio dois dias antes da chacina

10 de agosto de 2007 | 18h50

O autor do massacre na universidade Virginia Tech, Cho Seung Hui, pode ter 'treinado' para seu crime e ter feito testes antes de cometer o ato, segundo o jornal americano The Washington Post. Segundo testemunhas, ele poderia ter trancado uma entrada do prédio onde mataria 30 pessoas antes de se suicidar.   Uma testemunha viu um homem de aparência suspeita, com uma blusa com capuz escondendo o rosto e espiando pela entrada do Norris Hall, prédio onde aconteceu a chacina, dois dias antes, na manhã do dia 14 de Abril.   Uma segunda testemunha se lembra que uma das portas do prédio foi acorrentada por volta do mesmo horário, afirmou a polícia em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira, 10.   Investigadores também ligaram definitivamente Cho aos primeiros disparos, onde duas baixas foram registradas. O sangue das vítimas no dormitório foi encontrado nos tênis e jeans de Cho, que ele escondeu em seu dormitório entre os dois ataques.   Mas cerca de quatro meses após o histórico massacre, apesar de centenas de entrevistas e coleta de evidências, investigadores afirmam que não podem explicar as ações de Cho ou motivos, nem sequer estabelecer qualquer ligação entre ele e suas vítimas. "Nesse estágio, ainda não temos evidências que respondam as persistentes questões", disse o chefe de polícia do campus, Wendel Flinchum. "Nós apenas não sabemos".

Tudo o que sabemos sobre:
Virginia TechCho Seung Hui

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.