Assessor de Obama para assuntos ambientais renuncia

Jones deixa o cargo depois de acusações de que apoiaria a tese que o governo participou do 11 de setembro

Wiil Lester, da Associated Press,

06 de setembro de 2009 | 11h44

O assessor do presidente Barack Obama para assuntos ambientais renunciou ao seu cargo, depois da controvérsia que seus comentários polêmicos causaram, informou a Casa Branca neste domingo, 6. Enquanto isso, o governo trabalha para ganhar terreno no polêmico debate sobre a reforma do sistema de saúde pública.

 

Van Jones, funcionário especializado nos denominados "empregos verdes", que são postos de trabalho que protegem o meio-ambiente, foi relacionado com os esforços de alguns americanos que defendem que o próprio governo teve um papel nos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001, além de ter feito comentários humilhantes sobre membros do partido Republicano.

 

Obama nunca assentiu os comentários de Jones, disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs.

 

"O que Van Jones decidiu foi que a agenda deste presidente era maior do que qualquer indivíduo", afirmou Gibbs. Jones "entendeu que iria ficar no meio do caminho" e que se tornaria um fardo para o governo, completou o porta-voz ao programa This Week da emissora ABC.

 

Jones ofereceu desculpas nesta quinta-feira, 3, por seus comentários. Quando perguntado no dia seguinte, se Obama ainda teria confiança nele, Gibbs indicou unicamente que Jones "segue trabalhando para o governo".

 

A controvérsia ao redor de Jones surgiu de informações da imprensa de que o funcionário fez comentários desfavoráveis contra os republicanos.

 

Separadamente, o nome de Jones foi ligado a uma petição feita em 2004, relacionada com os atentados terroristas ao World Trade Center em Nova York e contra o edifício do Pentágono no dia 11 de setembro de 2001.

 

Essa petição havia pedido audiências no Congresso e outras investigações em torno da hipótese de que havia funcionários de alto escalão do governo que permitiram que os atentados fossem feitos.

 

"Na véspera das lutas históricas pela saúde pública e pela energia limpa, os antagonistas da reforma montaram uma campanha para me desprestigiar", disse Jones na sua carta de demissão. "Eles estão usando mentiras e distorções para distrair e dividir".

 

Jones disse claramente em seu comunicado que não estava de acordo com a postura da petição sobre os atentados terroristas e que "ela certamente não reflete os meus pontos de vista, nem agora e nem nunca".

 

Em relação a outros comentários que fez antes de ingressar na equipe de Obama, Jones afirmou: "Se ofendi alguém com as observações que fiz no passado, eu peço desculpas". Mesmo assim, os republicanos exigiram que Jones renunciasse.

 

Com informações de Philip Elliott

Tudo o que sabemos sobre:
ObamaMeio-AmbienteVan Jonesrenuncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.