Jason DeCrow/AP
Jason DeCrow/AP

Assistente de bin Laden é condenado a prisão perpétua nos Estados Unidos

Mahmud Salim furou olho de guarda enquanto aguardava julgamento por conspirar com a Al-Qaeda

AP,

31 de agosto de 2010 | 19h47

NOVA YORK- Um homem acusado de ser o principal assistente de Osama bin Laden foi condenado nesta terça-feira, 31, a prisão perpétua por atingir um guarda no olho com um pente fino enquanto esperava seu julgamento por conspirar com a Al-Qaeda para matar americanos.

 

Veja também:

especialAs franquias da Al-Qaeda

 

Mamdouh Mahmud Salim, 52, se declarou culpado em 2002 por tentativa de assassinato e conspiração para matar um policial federal. Em 2004, Salim foi condenado a 32 anos de prisão, mas seu caso foi retornado à Justiça Federal para ser revisado, após uma corte de apelações afirmar que o juiz havia falhado em tomar fatores relacionados ao terrorismo em conta.

 

A acusação afirma que Salim, formado em engenharia no Iraque, foi um fundador da Al-Qaeda que elaborou decretos religiosos para bin Laden e operou campos de treinamento e esconderijos no Paquistão e no Afeganistão.

 

O ataque ao oficial americano Louis Pepe ocorreu em 2000, quando Salim e mais quatro homens estavam presos no Centro Metropolitano Correcional de Manhattan enquanto aguardavam julgamento por planejar ataques contra americanos.

Tudo o que sabemos sobre:
Osama bin LadenAl-QaedaterrorismoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.