Doug Mills/The New York Times
Doug Mills/The New York Times

'Ataque à Síria foi perfeitamente realizado, com muita precisão', diz Trump

Presidente norte-americano rebateu críticas sofridas após usar a expressão 'missão cumprida' para se referir ao bombardeio

O Estado de S.Paulo

15 Abril 2018 | 10h12

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou no Twitter nesta manhã de domingo que o ataque com mísseis à Síria foi "perfeitamente realizado, com muita precisão". Na mensagem, Trump rebatia críticas sofridas por ele após usar a expressão "Missão cumprida" para se referir à ação.

+++Análise: Não revidar, a melhor estratégia contra os EUA

Os Estados Unidos, o Reino Unido e a França lançaram mísseis contra centros de pesquisas da Síria usados para a fabricação de armamentos. O ataque, no início do sábado (hora local, noite de sexta-feira no horário de Brasília), foi uma em retaliação ao ataque químico contra civis registrado há oito dias em Douma, um subúrbio de Damasco que era controlado por rebeldes.

"A operação na Síria foi tão perfeitamente executada, com tal precisão, que o único que a Imprensa de Notícias Falsas pôde menosprezar foi o uso por mim da expressão "Missão Cumprida"", afirmou Trump em sua mensagem. "Eu sabia que eles iriam se concentrar nisso, mas achei que o uso de um termo militar tão ótimo deveria ser resgatado. Usem muitas vezes!".

+++ Ataque à Síria: tudo o que você precisa saber

Além disso, Trump usou o Twitter nesta manhã para novamente atacar James Comey, ex-diretor do FBI que lançou um livro no qual faz críticas ao presidente. Trump disse que nunca pediu lealdade pessoal a Comey. "Eu mal conhecia esse cara", comentou. "Apenas mais uma de suas muitas mentiras", disse. Ainda segundo Trump, Comey deveria ter sido preso por divulgar informações secretas e por ter mentido ao Congresso.

Trump ainda reenviou hoje uma mensagem de ontem, na qual ele afirma estar orgulhoso dos militares do país. Segundo o presidente, o uso de bilhões de dólares deixará as Forças Armadas americanas ainda melhores.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.