Atirador do Colorado fazia tratamento psiquiátrico

O homem acusado de matar 12 pessoas na semana passada em um cinema do Colorado, nos Estados Unidos, estava sob tratamento de uma psiquiatra especializada em esquizofrenia, segundo documentos entregues à Justiça e divulgados nesta sexta-feira.

Reuters

27 de julho de 2012 | 19h07

"O senhor (James) Holmes foi um paciente psiquiátrico da doutora (Lynne) Fenton, e suas comunicações com ela estão protegidas", disse o documento apresentado pela defesa de Holmes, de 24 anos, um ex-doutorando em neurociências.

Na semana passada, ele abriu fogo indiscriminadamente contra a plateia que assistia à estreia de "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge", na cidade de Aurora, no subúrbio de Denver, no Colorado.

Fenton, como diretora médica de saúde mental dos alunos do Campus Médico Anschutz, da Universidade do Colorado, fornece medicação e psicoterapia aos pós-graduandos, além de ser professora, segundo o site da escola. Ela dedicou boa parte da carreira ao estudo da esquizofrenia.

A universidade confirmou no início da semana que um pacote suspeito foi entregue na segunda-feira na instituição e encaminhado em seguida às autoridades.

A emissora Fox News disse, citando fontes próximas à investigação, que Holmes enviou dois pacotes a um(a) psiquiatra da Universidade do Colorado, e que um deles continha um caderno em que o atirador detalhava seus planos para o ataque.

Acusações formais contra o suspeito, que pintou o cabelo de laranja e, segundo autoridades, se apresenta como Coringa, o arqui-inimigo do Batman, devem ser apresentadas na segunda-feira.

As novas revelações sobre o atirador coincidem com o terceiro funeral das vítimas do massacre, um dos piores incidentes desse tipo nos Estados Unidos nos últimos anos.

(Reportagem de Mary Slosson, Keith Coffman e Chris Francescani)

Mais conteúdo sobre:
EUACOLORADOMASSACRE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.