Aude Guerrucci/Efe
Aude Guerrucci/Efe

Atuação em tremor no Haiti eleva aprovação de Obama nos EUA

80% dos americanos aprovam resposta de Obama à crise humanitária; popularidade do presidente sobe para 50%

19 de janeiro de 2010 | 11h51

A ação do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na crise humanitária provocada pelo terremoto que atingiu o Haiti no dia 12 aumentou sua popularidade interna. O índice de aprovação de Obama como presidente aumentou para 50% por cento após atingir o índice mais baixo de 46% na semana passada, indicou uma pesquisa da rede de TV CBS News. A CBS atribuiu sua aceitação à abordagem frente à crise haitiana.

Obama teve pontuação alta em todo o espectro político por sua abordagem na crise do Haiti. 80% aprovam a resposta de Obama à crise no Haiti, e republicanos, democratas e independentes deram notas altas, segundo a pesquisa realizada entre os dias 14 e 17 de janeiro. Apenas 8% desaprovam de sua resposta.

O índice de aprovação de 50 por cento um ano após Obama assumir a Presidência é semelhante ao dos presidentes Ronald Reagan (49%), Jimmy Carter (51%) e Bill Clinton (54%), informou a CBS News.

VEJA TAMBÉM:
video Assista a análises da tragédia
mais imagens As imagens do desastre
blog Blog: Gustavo Chacra, de Porto Príncipe
especialEntenda o terremoto
especialInfográfico: tragédia e destruição
especialCronologia: morte no caminho da ONU
lista Leia tudo que já foi publicado

Foi mais baixo que os índices dos presidentes George W. Bush (82%), George H.W. Bush (76%), John F. Kennedy (79%) e Dwight D. Eisenhower (70%).

A pesquisa também revelou que 49% dos norte-americanos eram da opinião de que Obama fez demais pelos bancos, enquanto 41% acreditava que ele fez a quantidade certa para a indústria automobilística.

 Para 62%, que Obama fez muito pouco pelas pequenas empresas e para 54%, ele fez muito pouco pela classe média.

Os norte-americanos estavam divididos sobre a questão da reforma no sistema de saúde, com 41% dizendo que o sistema melhoraria com a nova legislação, enquanto 35% acreditavam que a situação pioraria.

 A pesquisa de um grupo aleatório de 1.090 adultos foi realizada por telefone, com margem de erro de três pontos percentuais.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Obamaterremoto no Haitipopularidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.