Aumenta o número de imigrantes presos nos EUA

Índice cresce 3,7% entre 2006 e 2007; mais de 96 mil estrangeiros estão nos centros de detenção americanos

Efe,

06 de junho de 2008 | 19h34

O número de imigrantes presos nos Estados Unidos aumentou 3,7% entre 2006 e 2007, segundo um estudo divulgado nesta sexta-feira, 6, pelo Departamento de Justiça, que afirma que 96.703 pessoas de fora do país estão nos centros de detenção americanos. Veja também:EUA impõem restrições a visitantes isentos de visto Os presos não-americanos representam 8% do total da população carcerária, número superior aos 7% registrados no ano de 2006 e dos 5,4% de 1999. Os últimos dados de junho de 2007 asseguram que as prisões americanas abrigam 2,3 milhões de presos, o que representa um índice de encarceramento de 762 pessoas para cada 100 mil residentes americanos. Diante desses dados, a ONG Human Rights Watch divulgou um comunicado afirmando que os números fazem dos EUA o primeiro país do mundo em índices de encarceramento. O Reino Unido, por exemplo, apresenta umas taxa de presos de 152 para cada 100 mil residentes no país, enquanto o Canadá está em 108 e a França em 91, também para cada 100 mil habitantes. O diretor americano desta associação, David Fathi, assegura que os "EUA teriam que se perguntar por que prendem tanta gente em comparação com outras democracias." Entre 2000 e 2007, a população carcerária dos EUA aumentou em 367.200 pessoas, destaca o relatório, que ressalta ainda que o maior crescimento está entre os homens hispânicos. Os homens latinos presos aumentaram em 120 mil durante o mesmo período, número que supõe 32,7% do crescimento total. Os homens afro-americanos correspondem a 35,5% de todos os reclusos americanos. Quanto aos jovens, se estima que 2.639 pessoas menores de dezoito anos estão presas, 10,4% a mais que no ano anterior (2.390).

Mais conteúdo sobre:
imigraçãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.