Autópsia diz que ex-mulher de Robert Kennedy Jr morreu enforcada

A ex-mulher de Robert F. Kennedy Jr. morreu por asfixia em decorrência de enforcamento, revelou a autópsia dela nesta quinta-feira, em um aparente suicídio na casa da família no subúrbio de Nova York.

REUTERS

17 Maio 2012 | 15h39

A porta-voz do Instituto Médico Legal do condado de Westchester, Donna Greene, disse que a autópsia feita em Mary Kennedy, de 52 anos, revelou que ela morreu sufocada.

"A causa da morte foi descrita como asfixia em razão de enforcamento", afirmou Greene.

O resultado dos testes toxicológicos levarão meses para ficar pronto, disse ela.

Mary foi encontrada pendurada enforcada em um celeiro nos fundos da casa da família no subúrbio nova-iorquino de Bedford na quarta-feira, de acordo com o New York Times e a ABC News, que citaram fontes anônimas.

O New York Times relatou que o corpo foi descido pelas autoridades e que as tentativas de ressuscitá-la não tiveram êxito. O Times disse que ela deixou um bilhete.

Mary Kennedy tinha quatro filhos com o advogado e ambientalista Robert Kennedy, filho do senador Robert F. Kennedy e sobrinho do presidente John F. Kennedy, ambos já falecidos.

"Lamentamos profundamente a morte de nossa querida irmã Mary, cujo espírito radiante e criativo fará falta para quem a amava", disse a família de Mary Kennedy na quarta-feira, em um comunicado divulgado pelo advogado.

Mary e Robert Kennedy entraram com pedido de divórcio em 2010, mas ele não estava finalizado, disse Kerry Lawrence, advogado de Mary Kennedy.

(Reportagem de Barbara Goldberg)

Mais conteúdo sobre:
EUA MARY KENNEDY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.