Avião cai no Estado de Nova York e mata ao menos 49 pessoas

Todos os 48 passageiros e uma pessoa em terra morreram no acidente na cidade de Buffalo nesta madrugada

Agências internacionais,

13 de fevereiro de 2009 | 03h20

 Um avião da Continental Express caiu em uma área residencial do subúrbio da cidade de Buffalo, no interior do Estado de Nova York, por volta das 22 horas (hora local - madrugada de sexta-feira no Brasil) de quinta-feira, 12. Ao menos 49 pessoas morreram e duas ficaram feridas. A aeronave tinha 44 passageiros e quatro 4 tripulantes, segundo a Agência Federal de Aviação americana (FAA). Uma das vítimas foi morta no solo.  Veja também: Assista ao vídeo do acidente no YouTube   Ouça o último contato do avião no jornal Buffalo News   Veja galeria de fotos   O avião saiu com duas horas de atraso do do aeroporto de Newark, em Nova Jersey -um dos três que servem a cidade de Nova York - para Buffalo e sofreu o acidente a 16 km de seu destino final. O acidente detonou um incêndio de grandes proporções. Um representante do condado de Erie, onde ocorreu o acidente, disse à CNN que três pessoas estavam na casa atingida. Segundo ele, o incêndio já foi controlado e o local foi isolado. O Bombardier Q400 tinha espaço para 74 pessoas e carregava 2,2 toneladas de combustível, que aparentemente explodiram com o impacto. A Continental Airlines divulgou um comunicado segundo o qual o avião acidentado fazia o voo 3407 e era operado pela Colgan Air. Segundo a Continental, tratava-se de um voo de conexão para a companhia. Pelo menos 12 casas da região foram esvaziadas nopor causa do perigo representado pelo combustível que ainda restava na aeronave.  Moradores disseram ter ouvido um ruído agudo antes de o avião tocar o solo. O céu todo ficou laranja, disse Bob Dworak, um morador que vive no entorno da área acidentada. "De repende ouve um grande estouro e a casa tremeu". Este é o segundo acidente aéreo que ocorre no Estado de Nova York em menos de um mês. Em 15 de janeiro, o piloto de um Airbus-320 da companhia US Airways, que levava 155 pessoas a bordo, se viu obrigado a fazer um pouso de emergência nas águas do rio Hudson. 'Fora do radar'  A imprensa americana noticiou que uma gravação da base de controle de tráfego aéreo de Buffalo não mostrou sinais de preocupação nem da parte do piloto nem do controlador de voo. Mas apenas um minuto depois o controlador perdeu o contato com a aeronave e perguntou a outros aviões na região se eles podiam vê-la. "A torre me avisou que o avião simplesmente desapareceu do radar", disse o porta-voz da Autoridade de Transporte de Cargas da região ao jornal Buffalo News.Por enquanto, as autoridades abriram uma linha de telefone para informar aos familiares das vítimas sobre a situação após o acidente. Chris Kausmer, parente de uma passageira, expressou comovido às redes de TV locais que "esperava notícias da irmã" e que "temia o pior". Emocionado, Kausmer afirmou que a única coisa em "que pode pensar no momento" é que sua mãe e seus dois filhos "têm que pegar um avião da Flórida" até Nova York.Especialistas consultados por redes de TV como a CNN citaram a possibilidade de que as más condições meteorológicas, de chuva gelada e vento forte, possam ter influenciado no acidente. Um porta-voz da Continental Airlines, citado pela CNN, informou que as equipes de sua subsidiária Colgar Air, que tem sua sede em Manassas, na Virgínia, iniciaram já o processo de coleta de informação para ajudar a determinar as causas do acidente.Texto atualizado às 7h30 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
aviãoEstados Unidosacidente aéreo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.