Bar gay torna-se refúgio após tempestade nos EUA

Enquanto a prefeiturade Galveston determinava a seus últimos moradores que deixassema cidade por causa da devastação provocada pelo furacão Ike, umbar gay da cidade, o Robert's Lafitte, planeja um show comdrags e músicas de Tina Turner. Só dois bares reabriram na cidade depois da passagem doIke, no sábado, e por isso o Robert Lafitte virou um paraíso --para gays, héteros ou qualquer um que precise de um lugar parabeber e relaxar. "Dá para ver que não há muita preocupação e estresse norosto das pessoas", disse a garçonete transexual Dixie Monroe,usando chapéu de caubói com estampa de tigre e umtomara-que-caia. No lado de fora, helicópteros Black Hawk sobrevoam a cidadede 60 mil habitantes, e equipes de emergência buscam pessoasilhadas. O ex-transformista Big Mouth Robert ("Roberto Bocão"), donodo estabelecimento, disse que o bar chegou a ficar com até ummetro de água e perdeu vidraças por causa do vento. Mas apósuma limpeza na manhã seguinte, o local reabriu. "Todos os nossos clientes estavam exigindo. É o bar deles,e eles meio que ditam o que acontece. Somos sobreviventes." Tina Turner é uma espécie de padroeira do bar, já quesobreviveu a outro Ike -- seu marido, Ike Turner, que tinha ocostume de agredi-la. A cozinha está preparando comida doada por moradores anecessitados. Cerca de 20 mil pessoas supostamente aindaestariam em Galveston, e falta comida e água. "[O Robert's Lafitte] é mais do que um salva-vidas, é comoa Guarda Costeira", elogiou o garçom hétero Brian DeLeon, quenunca havia ido ao local. "Essa gente te tira da água e torna a vida vivível. Quandoeu voltar ao trabalho, vou voltar aqui", disse ele. (Reportagem de Tim Gaynor)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.