Biden diz que Ucrânia tem o direito de se defender da Rússia

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse neste sábado que o governo norte-americano busca uma solução pacífica para o conflito na Ucrânia, mas acrescentou que Kiev tem o direito de se defender da Rússia, e que os EUA podem fornecer meios para isso.

REUTERS

07 de fevereiro de 2015 | 13h33

"Eu e o presidente concordamos que precisamos fazer todos os esforços para salvar vidas e resolver o conflito pacificamente. Como a chanceler Merkel disse hoje, a tentativa vale a pena", disse Biden em uma conferência sobre segurança em Munique.

Mas ele acrescentou: "Muitas vezes o presidente Putin prometeu a paz e entregou tanques, tropas e armas. Então vamos continuar a ajudar a Ucrânia com assistência de segurança, não para encorajar a guerra, mas para permitir que a Ucrânia se defenda".

"Para ser claro, nós não acreditamos que exista uma solução militar na Ucrânia. Mas, para ser igualmente claro, não acreditamos que a Rússia esteja certa de fazer o que está fazendo. Acreditamos que devemos buscar uma paz honrada. Também acreditamos que o povo da Ucrânia tem o direito de se defender", acrescentou Biden.

(Por Noah Barkin)

Tudo o que sabemos sobre:
EUARUSSIAUCRANIABIDENDEFESA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.