Biden nega que EUA planejem levantar embargo a Cuba

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joseph Biden, disse neste sábado que os Estados Unidos não vão levantar o seu embargo a Cuba.

REUTERS

28 de março de 2009 | 17h58

"Não", disse Biden aos repórteres durante uma reunião no Chile, quando lhe perguntaram se os EUA planejam remover o embargo a Cuba.

"Nós achamos que o povo cubano deveria decidir o próprio destino e deveria poder viver em liberdade e ter alguma perspectiva de prosperidade econômica", acrescentou ele.

Vários ministros da Defesa sul-americanos pediram este mês ao presidente dos EUA, Barack Obama, que levante o embargo a Cuba, dizendo que essa iniciativa é crucial para a melhoria das relações dos EUA com a região.

"Obama e eu deixamos claro durante nossa campanha que pensamos que há a necessidade de uma transição em nossa política para Cuba", acrescentou Biden.

A Câmara dos Deputados dos EUA aprovou no mês passado uma legislação que suaviza as restrições ao comércio com Cuba e viagens de pessoas para visita a parentes na ilha.

Os partidários do fim do embargo esperavam que a ação do Congresso fosse o primeiro passo em direção à revisão e possivelmente à reversão da política de afastamento dos EUA de Cuba, que dura décadas.

Obama deixou claro que é a favor do relaxamento dos limites em viagens de famílias e na remessa de dinheiro de cubano-americanos para Cuba, embora ele diga que o embargo comercial dos EUA deva continuar em vigor para pressionar por reformas democráticas na ilha.

(Reportagem de Reese Ewing, Simon Gardner e Adrian Croft)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACUBABIDEN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.