Bill está em alto-mar, mas fortes chuvas atingem Bermudas

O furacão passou para a categoria 2, cujos ventos sustentados passaram para no máximo 175 km/h

AE-AP,

21 de agosto de 2009 | 17h49

Foto: AP

 

Chuvas causadas pelo furacão Bill caíram nas Bermudas enquanto a tempestade atingia o alto-mar nesta sexta-feira, causando enchentes na ilha do Atlântico e espalhando perigosas ondas pela costa leste dos Estados Unidos.

 

Bill tornou-se um furacão de categoria 2, cujos ventos sustentados passaram para no máximo 175 quilômetros por hora.

 

Meteorologistas disseram que a intensidade do furacão pode flutuar nos próximos dois dias. Espera-se o olho do furacão passe entre as Bermudas e a costa norte-americana no sábado.

 

Na costa leste dos Estados Unidos, espera-se que se formem ondas no alto-mar de mais de 6 metros, além de fortes correntes nos últimos finais de semana do verão.

 

Algumas estradas da costa norte de Bermudas já estavam inundadas nesta sexta-feira e o tráfego era pesado em Hamilton, a capital, pois os habitantes compravam alimentos e faziam acertos de última hora.

 

Bill deve provocar entre 25 e 75 milímetros de chuva para Bermudas, mas pode haver até 130 milímetros em algumas áreas. Mas a maré pode elevar o nível da água em até 1 metro acima do solo ao longo da costa e as ondas podem provocar erosão.

 

Apesar dos avisos colocados nas praias das Bermudas, os turistas se reuniram para ver as ondas baterem na areia e levarem as dunas na baía de Horseshoe.

 

As Bermudas estão sob alerta de tempestade tropical, o que significa que ventos de 64 quilômetros por hora ou mais são esperados nos próximos dias. A ilha continua sob alerta de furacão, o que indica que ventos ainda mais fortes podem ocorrer nas próximas 36 horas.

 

Ás 15h (horário de Brasília) desta sexta-feira, o olho do furacão estava a cerca de 465 quilômetros sul-sudoeste de Bermudas, ou cerca de 1.115 quilômetros ao sudeste de Cabo Hatteras e estava se movendo a 30 quilômetros por hora.

 

Bill é o primeiro furacão do Atlântico deste ano, após um início de temporada tranquilo. A temporada de furacões vai de junho a novembro. O Centro de Controle de Furacões de Miami reduziu sua perspectiva de furacões no Atlântico no dia 6 de agosto.

 

A perspectiva reduzida foi para entre três e seis furacões, com um ou dois com possibilidade de tornar-se um furacão com ventos de mais de 110 milhas por hora. Pesquisadores da Universidade do Estado do Colorado também reduziram suas expectativas para furacões para quarto, sendo dois deles maiores.

Tudo o que sabemos sobre:
furacão Bill

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.