Bin Laden apresentará suicida de 11 de setembro, diz Al-Qaeda

No aniversário do ataque, terrorista deve mostrar testamento de um dos responsáveis pelo atentado de 2001

Associated Press e Agência Estado,

10 de setembro de 2007 | 11h26

O braço de mídia da Al-Qaeda anunciou nesta segunda-feira, 10, que irá divulgar um novo vídeo de Osama bin Laden apresentando o testamento de um dos seqüestradores suicidas dos atentados terroristas de 11 de setembro nos Estados Unidos, marcando o sexto aniversário dos ataques.   Veja também: Barba negra de Bin Laden intriga os EUA Al-Qaeda se reagrupa e volta a ameaçar os EUA Os maiores ataques da Al-Qaeda desde 11/9 Bin Laden 'prepara vídeo para 11/9' EUA analisam fita de vídeo de Bin Laden O anúncio é feito poucos dias depois de Bin Laden aparecer pela primeira vez em três anos num vídeo, dirigindo-se ao povo americano e aconselhando-o a abandonar o capitalismo e se converter ao Islã. A informação foi transmitida num banner num site militante islâmico freqüentemente usado pela Al-Qaeda para transmitir mensagens e foi assinada pela Al-Sahab, o braço de mídia da rede terrorista. "Em breve, Deus queira, o testamento dos ataques em Nova York e Washington, de Abu Musab Waleed al-Shehri, apresentado pelo Sheik Osama bin Laden. Que Deus o proteja", lê-se no banner. Ele mostrava uma imagem de Bin Laden usando as mesmas vestes e a mesma barba preta de um vídeo recente. A Al-Qaeda tem marcado os últimos aniversários dos atentados de 11 de setembro de 2001 com vídeos mostrando os testamentos de alguns seqüestradores. No ano passado, al-Sahab divulgou um vídeo de 55 minutos com o testamento dos seqüestradores Wail al-Shehri e Hamza al-Ghamdi. O vídeo trazia imagens inéditas de Bin Laden e foi acompanhado por outro com comentários do vice da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahri. Waleed al-Shehri foi um dos seqüestradores do vôo 11 da American Airlines que foi jogado contra as torres gêmeas.   Nova aparição   O governo americano anunciou que obteve uma cópia do vídeo de 30 minutos em que o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, aparece para marcar o sexto aniversário do 11 de Setembro. A CIA submeteu o material à análise e confirmou que a voz era do terrorista.   Dirigindo-se ao povo americano, Bin Laden não fez qualquer ameaça direta, mas afirmou que, ao não reconhecer seus erros no Iraque, Bush repetia os equívocos cometidos pelo ex-líder soviético Leonid Brezhnev. "Assim como Brezhnev, Bush - quando questionado sobre a data da retirada do Iraque - disse que isso não ocorrerá no seu reinado, mas durante o governo de quem o suceder."   Bin Laden também afirmou que os americanos deveriam se converter ao islamismo para acabar com a guerra. Bush afirmou ser interessante Bin Laden mencionar o Iraque. "Se a Al-Qaeda se preocupa em falar do Iraque, é porque eles querem atingir seu objetivo na região - nos expulsar de lá."   Nas imagens, Bin Laden usa túnica branca com turbante. A fala suave mostra que o terrorista aparenta estar saudável. Bin Laden não aparecia em vídeo desde 2004. Nas imagens, ele faz várias referências históricas que indicam que a gravação é recente - entre elas, a vitória democrata na eleição para o Congresso americano, em 2006, e a eleição de Nicolas Sarkozy na França, em maio    

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.