Boletins alertam para ataques terroristas em estádios e hotéis

Avisos foram emitidos durante investigação de um possível plano de ataque às cidades de Danver e Nova York

Agência Estado e Associated Press,

22 de setembro de 2009 | 14h28

Funcionários de contraterrorismo emitiram boletins de segurança para a polícia de todos os cantos dos Estados Unidos a respeito do suposto plano de terroristas de atacar estádios, complexos de entretenimento e hotéis. Trata-se do último comunicado interno de advertência, enquanto investigadores buscam provas de um possível plano para explodir bombas em Denver e em Nova York.

 

Nos dois boletins, enviados para departamentos de polícia na segunda-feira, os funcionários disseram desconhecer planos específicos de ataques contra esses locais, mas pediram que as forças de segurança e as empresas privadas fiquem vigilantes. Os dois avisos foram distribuídos depois de uma advertência similar a respeito das vulnerabilidades dos sistemas de trânsito.

 

O boletim sobre estádios lembra que um manual de treinamento da Al-Qaeda cita especificamente "a explosão e destruição de lugares de diversão, imoralidade e pecado" e "ataque de centros econômicos vitais" como alvos para a rede de terroristas.

 

Um comunicado conjunto do Departamento de Segurança Interna e do FBI disse que, embora as agências não tenham informações sobre data, localização ou alvo de qualquer ataque planejado, é prudente elevar o alerta das forças de segurança locais, tendo em vista os alvos e as táticas das atividades terroristas anteriores.

 

Os funcionários lembraram que esses boletins não tem como alvo o público em geral. E que informes, particularmente sobre hotéis como possíveis alvos, são comuns.Porém, meia dúzia de alertas emitidos na semana passada receberam mais atenção em meio às investigações em Nova York e Denver.

 

Funcionários de segurança disseram que um homem do Colorado pode ter planejando, com alguns cúmplices, detonar mochilas bombas em trens da cidade de Nova York, ataques parecidos com os realizados em Londres e Madri. A investigação e os alertas prévios sobre o sistema de transporte fizeram com que policiais de todo o país iniciassem patrulhamentos.

 

Dois agentes da lei, que falaram em condição de anonimato, disseram à Associated Press na noite de segunda-feira que cerca de dez pessoas são investigadas por envolvimento no suposto plano de ataque.

Em comunicado, o FBI afirmou que "várias pessoas nos Estados Unidos, Paquistão e em outros lugares" estão sendo investigadas.

 

Investigadores disseram que Najibullah Zazi, um afegão de 24 anos que faz o transporte de passageiros para o aeroporto de Denver, teve participação direta no plano de ataque. O suspeito viajou 2.575 quilômetros de Denver a Nova York perto do aniversário dos ataques de 11 de setembro. Ele compareceu ao tribunal pela primeira vez na segunda-feira e continua detido.

 

Zazi e outros dois réus não foram acusados por crimes relacionados ao terrorismo, mas por terem mentido para o governo. O caso, porém, pode crescer e incluir acusações mais graves na medida em que as investigações se desenvolverem. Mochilas e telefones celulares foram apreendidos na semana passada em apartamentos no Queens, visitados por Zazi. Ele negou publicamente estar envolvido num plano terrorista.

 

Seu advogado, Arthur Folsom, chamou de "rumores" as informações de que ele tenha tido um papel importante no caso. Segundo dois agentes da lei, que falaram em condição de anonimato, os investigadores acham que Zazi pode estar envolvido no plano.

 

O FBI disse ter encontrado anotações com instruções sobre fabricação de bombas que parecem ter sido escritas por Zazi, além de terem descoberto suas impressões digitais em materiais, baterias e uma balança, que poderiam ser usados para fabricar explosivos.

 

Ele também fez uma viagem ao Paquistão no ano passado, na qual teria recebido treinamento para o uso de armas e explosivos da Al-Qaeda, disse o governo.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoeuaestados unidosataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.