Bomba de fumaça leva polícia a interditar a Casa Branca

A Casa Branca passou mais de uma hora interditada na terça-feira à noite por causa de uma suposta bomba de fumaça atirada sobre suas grades, segundo um porta-voz do Serviço Secreto.

JOANNE ALLEN, REUTERS

18 de janeiro de 2012 | 10h41

O incidente ocorreu durante uma manifestação do movimento "Ocupe DC" (Distrito de Colúmbia, a sede do governo federal) em frente à Casa Branca, disse o porta-voz George Ogilvie. O protesto reuniu cerca de mil a 1.500 pessoas, mas a maioria já havia ido embora na hora em que a bomba foi atirada.

Ninguém foi preso, e o edifício foi liberado em seguida.

O presidente Barack Obama e sua mulher, Michelle, não estavam na Casa Branca na hora do incidente. Ele tinham saído para jantar em comemoração ao aniversário dela e voltaram quando a investigação estava em curso.

Jornalistas que cobrem a Casa Branca passaram cerca de 45 minutos retidos dentro do prédio e depois saíram escoltados. A avenida Pensilvânia, em frente à Casa Branca, também foi interditada.

Os manifestantes do movimento "Ocupe" se dirigiram à Casa Branca depois de inicialmente se concentrarem em frente ao Congresso, num protesto contra o que veem como excessiva influência do dinheiro sobre a política.

O "Ocupe" surgiu no cenário norte-americano em setembro, em Nova York, em protesto contra a desigualdade social nos Estados Unidos.

(Reportagem adicional de Ian Simpson e Lily Kuo)

Tudo o que sabemos sobre:
EUACASABRANCABOMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.