Bowie doa US$ 10 mil para a defesa de seis suspeitos

Adolescentes afrodescendentes foram acusados de terem tentado matar colega branco

Associated Press

19 de setembro de 2007 | 18h12

O roqueiro David Bowie doou US$ 10 mil para financiar a defesa de seis adolescentes americanos afrodescendentes acusados de terem atacado e tentado matar, em dezembro de 2006, um colega branco em Jena, no estado de Louisiana.  A doação ao fundo, criado para arrecadar recursos para defender o grupo conhecido como Jena Six, foi anunciado pelo National Association for the Advancement of Colored People, principal entidade de defesa aos direitos dos negros nos Estados Unidos.  Segundo informações da Associated Press, milhares de pessoas vão fazer uma passeata, na quinta-feira, em protesto ao julgamento. Entre elas, Martin Luther King III, filho do ganhador do Nobel da Paz. Os adolescentes tinha sido julgados como adultos pela tentativa de homicídio não premeditado, o que foi amplamente criticado. O Tribunal reviu a decisão e reduziu as penas. "Há uma clara separação e discriminação no processo judicial. A doação é um pequeno gesto que representa a minha discordância com relação à acusação ", afirmou Bowie, nesta terça-feira.  Várias brigas entre as duas etnias já haviam sido registradas na escola de Jena. Depois que um estudante negro perguntou a oficiais se ele poderia se sentar em uma área freqüentada por alunos brancos, três forcas foram encontradas penduradas em uma árvore, que foi cortada logo depois. Três alunos foram suspensos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bowiejulgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.