Brasileira envolvida no caso Spitzer continua presa nos EUA

Fontes do Departamento de Imigração dos EUA dizem que Andréia Schwartz pode voltar ao Brasil nesta segunda

Da Redação,

17 de março de 2008 | 09h22

Andréia Schwartz, a prostituta brasileira apontada como peça-chave no polêmico caso que derrubou o governador de Nova York, Eliot Spitzer, continua retida no centro de detenção do Departamento de Imigração no Estado de Nova Jersey.   Veja também: Pivô da crise de Spitzer 'não quer ser considerada um monstro' Novo governador promete 'encaminhar' NY Brasileira é testemunha-chave no caso do governador de NY Veja as imagens  EUA não libera testemunha-chave do escândalo Spitzer Família vive drama à espera da Andréia   O nome de Andréia, e de outros brasileiros deportados, estavam na lista de passageiros que embarcariam no vôo 951, que saiu de Nova York e pousou em São Paulo neste sábado, 15, mas, segundo  o delegado da Polícia Federal, Fabio Muniz, a prostituta não estava entre os que desembarcaram do avião.     Fontes do Departamento de Imigração dos EUA disseram ao Estado que a brasileira está retida por motivos burocráticos - seu prontuário pra deportação ainda não teria ficado pronto e o FBI estaria terminando de checar informações.   Ainda segundo estas fontes, a brasileira poderia embarcar para o Brasil nesta segunda-feira, 17.   (Com Marcelo Auler, de O Estado de S. Paulo)  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.