Brasileiros trabalham na reconstrução de Nova Orleans

Estima-se que 5 mil brasileiros vivam na cidade; maior parte chegou após o furacão Katrina

Bruno Garcez, BBC

29 de agosto de 2007 | 12h09

O número 2118 da New Orleans Street é apenas uma das casas desta rua que foram arrasadas pelo furacão Katrina há dois anos. E a equipe que está trabalhando na restauração da residência é inteiramente formada por brasileiros.  Veja também Furacão Katrina faz dois anos e vira livro Estima-se que existam cerca de 5 mil brasileiros em Nova Orleans. Destes, a maior parte está trabalhando na indústria da construção, tendo chegado à cidade pouco após a passagem da tempestade tropical. Muitos brasileiros continuam chegando à cidade, atraídos pelas chances de trabalho no setor. Um deles é o goiano Agrismar Luís Costa, que vistoria as obras no 2118 New Orleans Street. Até um ano atrás, Agrismar morava na Flórida. Conta ter sido atraído à cidade por conta da forte demanda por mão de obra, mas também pela vontade de ajudar. ''''Um dia eu vou poder dizer a meus filhos e meus netos que eu ajudei a construir uma cidade'''', afirma. O desemprego em Nova Orleans aumentou consideravelmente após o Katrina - cresceu 5%. Mas a reconstrução gera postos de trabalho. Como seria de se esperar em uma cidade que teve mais de 200 mil residências destruídas ou danificadas, um dos setores que mais cresce é o da construção. A indústria gerou 2,7 mil empregos neste ano. Um total de 11,3 mil propriedades está à venda na cidade. Antes da passagem do furacão, o número era de 8 mil. Mas muitas não arrumam comprador porque os interessados temem que estejam situadas em áreas sujeitas a uma nova inundação. Quase 40% dos moradores que habitavam a cidade antes da tempestade tropical ainda não regressaram a Nova Orleans. Muitos dos ex-moradores mais pobres não dispõem de recursos para reconstruir suas casas, nem contam com seguros. Alguns nem mesmo têm documentos para comprovar que são donos de suas propriedades. Devido ao aumento da presença brasileira em Nova Orleans, registrado nos últimos dois anos, o consulado brasileiro em Houston, que atende a região, já pensa em montar o que é conhecido como um escritório itinerante. A prática consiste em enviar um pequeno número de funcionários do consulado de Houston a cidades que estão sob a sua jurisdição, para que brasileiros possam dar entrada em documentos ou renovar seus passaportes, sem ter de viajar até a sede do consulado, no Texas. A jurisdição do consulado brasileiro em Houston compraz sete Estados americanos: Texas, Louisiana, Arkansas, Colorado, Novo México e Oklahoma. A participação brasileira em Nova Orleans não se limita à reconstrução de residências. A empreiteira Odebrecht conta com um escritório na cidade. Há um ano, a empresa respondeu pelo projeto de reconstrução de uma das barragens que cederam devido à fúria do Katrina, em 2005. O diretor de projeto Gustavo Silveira conta que dentro de duas semanas a empresa dará início a uma nova empreitada ligada à edificação de barreiras capazes de prevenir uma nova inundação. ''''O primeiro projeto foi mais complicado, que consistiu na substituição de um dos levees (como são conhecidas as barragens que falharam em 2005). Agora, o que vamos fazer é elevar o nível de uma das barreiras já existentes'''', conta Silveira.  BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.