Bush amplia sanções contra autoridades sírias

O presidente norte-americano, GeorgeW. Bush, determinou na quarta-feira a ampliação de sançõescontra autoridades do governo sírio e seus associados, informoua Casa Branca. As medidas têm o objetivo de congelar ativos localizadosnos Estados Unidos e pertencentes a pessoas que teriam sebeneficiado de corrupção e tomado ações para "minar os esforçospara estabilizar o Iraque", informou a Casa Branca emcomunicado. O governo Bush também reiterou a acusação de que a Síriaestá se intrometendo em assuntos do Líbano. "A Síria continua a minar a soberania do Líbano e suademocracia, prendendo ativistas pela democracia, restringindoos direitos humanos e patrocinando e abrigando o terrorismo",disse a Casa Branca. Damasco negou várias vezes as acusações de Washington, quetem buscado isolar a Síria diplomaticamente. As forças sírias encerraram 29 anos de presença no Líbanoem meio à pressão internacional após o assassinato do ex-premiêlibanês Rafik al-Hariri em 2005, mas os Estados Unidos afirmamque a Síria continua a interferir no Líbano. Washington impôs sanções econômicas à Síria em 2004,principalmente devido ao apoio sírio ao grupo guerrilheirolibanês Hezbollah e ao grupo militante palestino Hamas. (Por Matt Spetalnick)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.